Acarajé ou estaleca?

Iniciado por marcosbr, 26Fevereiro2016, 23:57

« anterior - seguinte »

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

marcosbr

Eu particularmente escolheria o "acarajé" visto que ao sair do Big brother, as estalecas não podem mais ser sacadas no caixa eletrônico!

Estalecas:



Todos os concorrentes começam o jogo com a mesma quantidade de estalecas, depositada em sua conta pessoal, e recebem um cartão magnético para sacar seu dinheiro no caixa eletrônico da casa, instalado no confessionário. Ao longo da competição, eles vão conquistando mais estalecas. Os BBs não podem emprestar ou doar seu dinheiro, mesmo quando são eliminados do jogo. As estalecas são válidas apenas dentro da casa, não sendo convertidas em reais após a saída do participante.

Acarajé:



O acarajé é uma especialidade gastronômica da culinária afro-brasileira feita de massa de feijão-fradinho, cebola e sal, frita em azeite de dendê. O acarajé pode ser servido com pimenta, camarão seco, vatapá e caruru (todos estes, também pratos típicos da culinária da África e cozinha da Bahia)

Mais aí vem outro problema que somente os "federais" sabem. Existe maquina para sacar acarajé?  :itd_3d_ani_w70_smiles_002: :pjr-laug: :pjr-laug:

O lada sério da coisa...

Se para alguns o acarajé é apenas uma iguaria, para os adeptos do candomblé é uma comida ritual para a orixá Iansã. "Não é simplesmente vender acarajé. Tem um ritual, a hierarquia da família, a história do acarajé. Porque todas as baianas do acarajé são filhas de Iansã, porque ninguém trabalha com o acarajé à toa", explicou a baiana Dulcimari de Jesus.

De acordo com a Polícia Federal, o nome foi escolhido em alusão ao termo utilizado por alguns investigados dessa fase para nominar o dinheiro em espécie envolvido no esquema de corrupção. A coordenadora da Associação Nacional das Baianas de Acarajé (ABAM), Rita Santos, considerou a a associação do termo a um assunto negativo uma ofensa à tradição religiosa.

"Foi difícil de ver a associação de uma oferenda de um orixá a um grupo de ladrões. Não vai ter impacto na hora de a baiana vender, mas vai haver (impacto) no mundo todo, porque sempre que se falar em acarajé, as pessoas vão ligar uma coisa à outra", avaliou.

Concordo neste ponto... Mais uma vez viramos "piada internacional" O Brasil não é um pais sério!
Deus nos concede, a cada dia, uma página de vida nova no livro do tempo. Aquilo que colocarmos nela, corre por nossa conta. (Chico Xavier)