Indianos ricos procuram refúgio da Covid-19 nas Ilhas Maldivas

Iniciado por noticias, 03Maio2021, 15:01

« anterior - seguinte »

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

noticias

Indianos ricos procuram refúgio da Covid-19 nas Ilhas Maldivas

Como o país é dividido em pequenas ilhas, o governo considera que é possível controlar um eventual surto de Covid-19. Os turistas só podem visitar os locais onde não há moradores locais. Imagem das Maldivas de 2016
AFP
As Maldivas, um país que fica em um arquipélago de mais de mil ilhas, recebem muitos indianos ricos que buscam um refúgio do coronavírus que devasta seu país, ao contrário de outras nações que suspenderam as conexões aéreas com a Índia.
O país no Oceano Índico reabriu em julho do ano passado seus aeroportos aos turistas estrangeiros, após um fechamento de três meses.
Explosão de casos e mortes por Covid-19 na Índia: entenda em 5 pontos
LEIA TAMBÉM
Índia registra novo recorde mundial com mais de 400 mil casos de Covid em 24 horas
Saiba por que infecções pelo coronavírus explodiram na Índia
Entenda por que a tragédia no país ameaça o mundo todo
Esta semana, diferente de muitos países que fecharam as fronteiras para viajantes procedentes da Índia, o governo das Maldivas apenas introduziu pequenas modificações nas regras para estes visitantes.
Os turistas que chegam da Índia podem ficar em hotéis ou barcos, mas não são autorizados a permanecer em pousadas nas ilhas em que a população local mora, segundo as novas diretrizes.
"A localização geográfica de nossas ilhas nos ajuda a minimizar o risco (de contágio)", declarou à AFP Thoyyib Mohamed, diretor da secretaria de turismo, a Visit Maldives.
"Cada pequena ilha tem um resort único e independente. Mesmo que tenhamos alguns casos surgindo aqui e ali, podemos contê-los dentro dos resorts sem expor a população local", explica.
Thoyyib afirmou que o país iniciou a campanha de vacinação dos 50 mil trabalhadores do setor turístico e das pessoas que atuam em serviços vinculados à hotelaria.
"Queremos ser o primeiro setor de turismo totalmente vacinado do mundo", disse Thoyyib à AFP por telefone. Quase 90% dos trabalhadores já foram vacinados, destacou.
Alguns meios de comunicação mencionaram a intenção das Maldivas de vacinar turistas estrangeiros. Mas as autoridades afirmam que tem planos neste sentido até que todos os moradores recebem as duas doses da vacina AstraZeneca ou a chinesa Sinopharm.
Mais de dois terços dos 330 mil habitantes do arquipélago foram vacinados, segundo o ministério da Saúde.
Desde o início da pandemia, as Maldivas registram pouco mais de 29 mil casos e 72 mortes por Covid-19.
Refúgio das estrelas de Bollywood
Thoyyib afirmou que o número de visitantes indianos diminuiu na semana passada em consequência da crise de saúde sem precedentes na Índia e da suspensão das conexões aéreas.
Mas os indianos continuam sendo os turistas mais numerosos do arquipélago.
Antes da pandemia, eles ocupavam o segundo lugar, atrás dos chineses, que saíram do top 10 desde então.
Entre os visitantes de luxo das últimas semanas estão algumas estrelas de Bollywood como Alia Bhatt e seu namorado Ranbir Kapoor, além de Shraddha Kapoor, que publicou no Instagram fotos de quando fazia ioga ao pôr do sol em um resort do arquipélago.
A imprensa local informou que empresas de voos particulares registram uma demanda crescente de voos a partir da Índia com destino a Europa, Oriente Médio e Maldivas. Alguns grupos se reuniram para alugar voos.
"Não são apenas os ultra-ricos", disse Rajan Mehra, diretor da empresa de aviões privados Club One Air, quie tem sede em Nova Délhi. "Aqueles que conseguem pagar por um jato particular estão embarcando em jatos particulares".
Mais de 1,7 milhão de turistas, um recorde, visitaram as Maldivas em 2019, 15% a mais que em 2018, segundo o governo.
A pandemia reduziu o número a 555 mil visitantes ano passado, mas o setor acredita em uma recuperação. Mais de 380 mil turistas estrangeiros visitaram o país desde o início de 2021.
Veja os vídeos mais assistidos do G1
:

Source: Indianos ricos procuram refúgio da Covid-19 nas Ilhas Maldivas