Sequestradores liberam 42 pessoas na Nigéria

Iniciado por noticias, 02Março2021, 03:01

« anterior - seguinte »

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

noticias

Sequestradores liberam 42 pessoas na Nigéria

Elas haviam sido levadas de uma escola há 10 dias. Sequestros em massa têm se tornado comum no país. Dormitório de escola na Nigéria onde houve sequestro em massa
Afolabi Sotunde/Reuters
Quarenta e duas pessoas, incluindo 27 crianças e adolescentes, foram liberadas na Nigéria, 10 dias depois de serem sequestradas em uma escola na cidade de Kagara, informaram as autoridades locais neste sábado (27).
Homens armados atacaram o colégio público e mataram um estudante em 18 de fevereiro. Eles sequestraram 27 alunos, três professores e 12 parentes de funcionários do colégio.
"Os estudantes, professores e seus parentes recuperaram a liberdade e foram recebidos pelo governo local", anunciou Abubakar Sani Bello, governador do estado de Níger, centro-oeste do país, região muito afetada pela ação de grupos criminosos.
Os criminosos espalham o terror na região, com sequestros em larga escala para exigir o pagamento de resgate, saques a vilarejos e o roubo de gado há vários anos. Nos últimos meses intensificaram os sequestros em escolas.
Na última sexta-feira (26), 317 alunas adolescentes de uma escola do ensino médio do estado de Zamfara foram sequestradas em seus dormitórios. As forças de segurança e moradores iniciaram uma operação de resgate.
No mesmo dia, pais de estudantes sequestradas atacaram o comboio oficial que desejava entrar na escola. Um jornalista ficou gravemente ferido na cabeça.
Na manhã deste sábado, a situação era mais calma, de acordo com pessoas entrevistadas pela AFP.
Chantagem
No início de dezembro, 344 alunos foram sequestrados em uma escola de Kankara, no estado vizinho de Katsina. A liberação aconteceu uma semana mais tarde.
Dezembro de 2020: Estudantes são resgatados pelo governo nigeriano depois de 6 dias como reféns
Após cada novo sequestro, as autoridades federais e locais repetem que não pagam resgate para obter a libertação dos reféns, algo que é pouco provável, de acordo com especialistas em segurança que temem a multiplicação deste tipo de crime na região.
No início de fevereiro, Awwalun Daudawa, que coordenou o sequestro de Kankara, se entregou às autoridades em troca de um acordo de anistia, durante uma cerimônia pública na presença de um grupo de jornalistas.
O presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, muito criticado pela situação catastrófica da segurança no norte do país, afirmou na sexta-feira (26) que não cederá à chantagem dos bandidos no caso das jovens sequestradas em Zamfara.
Violência e extrema pobreza
Estes grupos criminosos atraem cada vez mais jovens desempregados nessas regiões, que registram mais de 80% de pobreza extrema em sua população.
"Não é possível dizer quantos são exatamente. Eles se dividem, reagrupam, formam alianças entre eles. Apenas no estado de Zamfara se calcula que existem 40 lugares onde vivem e se escondem", explica Nnamdi Obasi, analista para a Nigéria do International Crisis Group (ICG).
Alguns grupos têm centenas de combatentes e outros apenas dezenas. Vários deles têm fortes relações com grupos jihadistas presentes no nordeste do país.
A violência dos grupos criminosos provocou mais de 8 mil mortes desde 2011 e forçou a fuga de mais de 200 mil pessoas de suas casas, de acordo com um relatório do ICG publicado em maio de 2020.
Outra preocupação é que os sequestros estimulam cada vez mais a saída dos alunos das escolas, particularmente das meninas, em uma região que já registra um elevado índice de crianças que não frequentam os centros de ensino, segundo o ICG.
Veja os vídeos mais assistidos do G1

Source: Sequestradores liberam 42 pessoas na Nigéria