VESTINDO O AR CONDICIONADO!

Iniciado por marcosbr, 07Maio2016, 21:42

« anterior - seguinte »

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

marcosbr

Esta primeira noticia é antiga. Tem cinco a seis anos, mais já é concreto este tipo de roupagem!

A segunda é recente, e pode mudar o mercado de "roupas" em, geral!


1)
Maior fabricante mundial de compressores para refrigeradores e freezers, a Embraco, de Joinville, controlada da Whirlpool, dos EUA, acaba de desenvolver um micro compressor com múltiplas utilidades, que pode ser usado inclusive como ar-condicionado pessoal, em roupas. A sugestão inicial é para vestes de bombeiros, forças armadas, mineração e corridas automotivas, mas pode ir além. A versão menor do aparelho pesa 100 gramas, tem o tamanho de uma caneta e seis centímetros de diâmetro. A maior pesa 1,1 quilo, tem o mesmo diâmetro e 15 centímetros de comprimento. A capacidade de refrigeração pode variar entre -5°C e 20°C.
_O meu objetivo é vender roupa refrigerada. Quando se começa abordar o cliente pela solução e não pelo produto, ele paga mais por isso _ disse João Carlos Brega, presidente da companhia, ao O Estado de S. Paulo.
Para mostrar o produto na roupa, a Embraco mandou confeccionar um colete de refrigeração, no qual aparece a caixinha do compressor (foto).
Como funciona
O aparelhinho é semelhante ao usado em refrigeradores, que transforma o ar quente em frio e vice-versa. Pode ser usado, também, para caixas de transporte de órgãos para transplantes, mantas para reduzir sangramentos e telões de LCD. Recebe energia de uma bateria de 12 ou 24 volts. As pesquisas iniciaram em 2005, a pedido de uma empresa que queria solução para refrigerar CPUs de computadores. A Embraco investe de 3% a 4% da receita bruta em pesquisa e desenvolvimento e tem mais de mil patentes mundiais.




2)
Bombeiros entrando em edifícios em chamas, atletas que competem no sol escaldante e trabalhadores de fundições e siderúrgicas logo poderão carregar suas próprias unidades de refrigeração pessoal, verdadeiros aparelhos de ar-condicionado individuais.

A possibilidade de concretização desse sonho de longa data foi aberta com o desenvolvimento de uma matriz flexível de nanofios feita por Guangzu Zhang, da Universidade da Pensilvânia, nos EUA.

A própria matriz de nanofios faz o resfriamento, criando uma abordagem simples e de baixo custo para uma refrigeração de estado sólido.

Materiais eletrocalóricos

Materiais eletrocalóricos são materiais, geralmente nanoestruturados, que apresentam uma mudança reversível de temperatura sob ação de um campo elétrico.

Já existem diversas versões, mas na forma de cristais individuais, cerâmicas ou filmes finos de cerâmica, que têm muitas limitações porque são rígidos, frágeis e são difíceis de sintetizar e trabalhar. Além disso, o campo elétrico que eles exigem para induzir o arrefecimento fica acima do limite de segurança para o ser humano.

Zhang criou um material eletrocalórico de nanofios de titanato de estrôncio e bário que é flexível, fácil de fabricar e ambientalmente amigável, além de resfriar com um campo elétrico seguro para uso humano - todas as características necessárias para que ele seja incorporado em uma roupa que resfria quem a utilizar, um ar-condicionado de vestir.

Rumo ao protótipo

Uma bateria de 500 gramas, do tamanho de um tablet, consegue alimentar o ar-condicionado pessoal por cerca de duas horas, gerando um resfriamento de 14º C em relação ao ambiente.

"Agora precisamos projetar um sistema que possa arrefecer uma pessoa e remover o calor gerado no resfriamento da área circundante", prometeu o professor Qing Wang, coordenador da equipe.
Deus nos concede, a cada dia, uma página de vida nova no livro do tempo. Aquilo que colocarmos nela, corre por nossa conta. (Chico Xavier)