Mensagens recentes

Páginas1 2 3 ... 10
1
LEIA SEMPRE AQUI! / Cadela é resgatada após ficar ...
Última mensagem por noticias - Hoje às 15:02:00 pm
Cadela é resgatada após ficar com cabeça presa a roda; VÍDEO

Foi usado óleo para lubrificar o pescoço da filhote, mas inchaço começou a aparecer e ela recebeu cuidados veterinários para ser retirada pelos bombeiros, que serraram a roda. Bombeiros da Califórnia responderam a uma ligação incomum na quarta-feira (22) - uma filhote de cachorro havia ficado com a cabeça presa no meio da roda de um pneu. A cadela de apenas 3 meses, da raça Australian Cattle Dog - conhecida no Brasil como Boiadeiro Australiano ou blue heeler - havia colocado a cabeça no buraco da roda e não conseguia tirá-la - veja o vídeo.
"Foi tão preocupante para mim. Eu estava tentando imaginar como ela foi colocada nessa posição e você apenas lembra que os filhotes sempre serão filhotes. Provavelmente havia comida do outro lado ou algo assim, ela apenas enfiou a cabeça", disse David Hough, técnico em cuidados com os animais.
Hough e outro colega tentaram usar o óleo para lubrificar o pescoço da filhote. Mas quando o inchaço começou a aparecer em volta do pescoço dela, foi decidido que ela seria transportada para Coachella Valley, para receber cuidados veterinários. Foi lá que a filhote foi sedada e os bombeiros do Condado de Riverside Fire foram ajudar no resgate.
Os bombeiros se revezaram usando uma serra para cortar um pedaço da roda, que era grande o suficiente para remover a filhote com segurança.
Ao reunir a cadela curiosa com a família, os socorristas descobriram que o nome dela é Lana. Mas ela já tem um novo apelido: #wheeliepup.
Abaixo, o post no Twitter da equipe de resgate mostra foto de Lana de volta a seu lar.
Initial plugin text
E no post abaixo a veterinária Emily Vialpando mostrando Lana após receber os cuidados. "O inchaço no pescoço diminuiu. Estamos esperando os proprietários virem para o abrigo", escreveu.
Initial plugin text

Source: Cadela é resgatada após ficar com cabeça presa a roda; VÍDEO
2
RESOLVIDOS GERAL! / Som Philips MC145/55 não liga ...
Última mensagem por naldonet - Ontem às 22:30:56 pm
Este aparelho ap. ao ser conectado na tomada ele piscava 1 vez o display e não ligava, verificado tensões na fonte faltava algumas, o defeito estava no cristal X10 (cola). Retirada a cola e feito limpeza o ap. voltou à funcionar !
3
LEIA SEMPRE AQUI! / 34 soldados dos EUA foram diag...
Última mensagem por noticias - Ontem às 09:00:57 am
34 soldados dos EUA foram diagnosticados com lesão cerebral depois de ataque do Irã a bases no Iraque, diz Pentágono


   As bases, que abrigavam forças americanas, foram atacadas pelo Irã no dia 7 de janeiro. Há dois dias, o presidente americano havia dito que as lesões sofridas pelos soldados não eram graves.  Logo do Pentágono é visto na sala de briefing do Departamento de Defesa americano em Arlington, na Virgínia.
Al Drago/Reuters
O Pentágono informou, nesta sexta-feira (24), que 34 soldados americanos foram diagnosticados com lesões cerebrais traumáticas depois do ataque do Irã a bases no Iraque que abrigavam forças dos EUA.
O porta-voz do Pentágono, Jonathan Hoffman, disse em coletiva de imprensa que 17 soldados ainda estão sob observação médica, e 8 que haviam sido levados à Alemanha foram transferidos para os Estados Unidos nesta sexta. Outros 9 continuam na Alemanha.
Na semana passada, as forças armadas americanas haviam dito que 11 soldados tinham sido tratados por sintomas de concussões depois dos ataques - especificamente à base de Ain Al-Asad. As forças militares disseram, ainda, que mais soldados haviam sido retirados do Iraque por causa de possíveis lesões, segundo a Reuters.
Bases iraquianas sofrem ataques
Cido Gonçalves/G1
'Não é muito grave', declarou Trump
Na quarta-feira (22), o presidente americano, Donald Trump, havia dito em uma entrevista em Davos, na Suíça, que as lesões não eram graves.
"Eu ouvi que eles tiveram dores de cabeça e algumas outras coisas... e eu posso dizer que não é muito grave", declarou Trump.
"Não, eu não considero que sejam lesões muito graves comparadas a outras que já vi. Já vi pessoas sem pernas e sem braços. Eu vi pessoas que foram terrivelmente, terrivelmente feridas naquela área, naquela guerra", disse o presidente.
Desde o ataque à base no Iraque, em 7 de janeiro (horário de Brasília), Trump disse e repetiu que nenhum americano havia sido morto ou ferido: poucas horas depois do lançamento dos mísseis contra o local, o presidente americano declarou, no Twitter, que estava "tudo bem", e, no dia seguinte, fez um pronunciamento em que repetiu a afirmação.
O ataque do Irã foi uma retaliação do país persa ao assassinato, pelos Estados Unidos, do general iraniano Qassem Soleimani, no dia 2 de janeiro (horário de Brasília). O militar foi morto em um ataque aéreo em Bagdá, no Iraque, depois de uma série de ofensivas entre Irã e EUA:
No dia 27 de dezembro, milícias financiadas pelo Irã atacaram uma outra base iraquiana que abrigava forças dos Estados Unidos, matando um civil dos EUA.
Em resposta, os americanos atacaram bases milicianas no Iraque e na Síria, matando 24 pessoas.
No dia 31 de dezembro, milicianos invadiram o complexo de prédios da embaixada dos Estados Unidos em Bagdá. O local ficou sitiado até que líderes das milícias ordenaram a liberação do lugar, pouco mais de 24 horas depois.
Dois dias depois (pelo horário de Brasília; madrugada de 3 janeiro no Iraque), o ataque aéreo dos EUA, ordenado por Trump, matou Soleimani na capital iraquiana.

Source: 34 soldados dos EUA foram diagnosticados com lesão cerebral depois de ataque do Irã a bases no Iraque, diz Pentágono
4
LEIA SEMPRE AQUI! / Bolsonaro diz que se reunirá c...
Última mensagem por noticias - 25,Janeiro, 2020, 03:05:55 am
Bolsonaro diz que se reunirá com presidentes de Angola e Quênia antes de seguir para a Índia


   Comitiva presidencial fará escala nos dois países africanos. No fim de semana, Bolsonaro participa do Dia da República da Índia, a convite do primeiro-ministro Narendra Modi. O presidente Jair Bolsonaro e o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, durante reunião no Palácio do Planalto em 2019
Alan Santos/PR
O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (23) que terá reuniões bilaterais com o presidente de Angola, João Lourenço, e com o presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta. Os encontros devem acontecer entre quinta e sexta (24), nas escalas da viagem presidencial à Índia.
Os encontros não constam na agenda presidencial, que prevê apenas escalas nos dois países. Segundo Bolsonaro, os dois chefes de Estado vão receber a comitiva presidencial nos aeroportos de Luanda (Angola) e Nairóbi (Quênia).
A informação foi divulgada em um vídeo pré-gravado, e publicado pelo Palácio do Planalto no fim da tarde. No momento do post em uma rede social, Bolsonaro já estava em trânsito para a primeira escala em Angola.
"Não vai ser apenas um reabastecimento, vai demorar pelo menos uma hora a mais. Vamos fazer contato com nossos irmãos da África. Quem sabe, possamos ali dar início a negócios entre nossos países, isso é muito bom para nós, é bom para eles também", declarou.
Bolsonaro embarcou para a Índia na manhã desta quinta, e só deve pousar na capital Nova Déli na manhã de sexta (24), no horário local. A agenda de compromissos oficiais começa no sábado (25), e o retorno ao Brasil está previsto para segunda (27).
No país, ele participará das comemorações pelo Dia da República e terá encontros com empresários e líderes políticos, entre os quais o primeiro-ministro Narendra Modi e o presidente Ram Nath Kovind.
Convidado de honra do governo indiano para os festejos da República no domingo (26), em Nova Déli, Bolsonaro também deverá ir a Agra para conhecer o Taj Mahal, um dos principais pontos turísticos do país.
Expectativa
Antes do embarque, Bolsonaro falou sobre a expectativa para a viagem durante uma rápida entrevista na saída do Palácio da Alvorada. O presidente declarou que o Brasil gostaria de ver a Índia utilizar mais etanol em seus combustíveis.
"É um grande interesse nosso é que eles usem mais etanol no combustível deles, que daí, entre a lei da oferta e da procura, eles produzem menos açúcar e ajuda a equilibrar o mercado", disse Bolsonaro.
No sábado, Bolsonaro se reúne com os três principais líderes de Estado e governo da Índia. Há previsão de reunião com o primeiro-ministro Modi e com o presidente Kovind, que deve ser acompanhado pelo vice Venkaiah Naidu.
O Ministério das Relações Exteriores do Brasil prevê que os governos assinarão cerca de 12 acordos comerciais e tecnológicos. Em fase final de negociação, os acordos tratam de áreas como segurança cibernética, facilitação de investimentos, cooperação na área de bioenergia e acordos na área de saúde.

Source: Bolsonaro diz que se reunirá com presidentes de Angola e Quênia antes de seguir para a Índia
5
PROJETO LEITURA! / A Ilha do Tesouro
Última mensagem por marcosbr - 24,Janeiro, 2020, 22:47:51 pm
A Ilha do Tesouro é um dos clássicos da literatura infanto-juvenil escrito por Robert Louis Stevenson em 1883, livro sobre piratas e tesouros enterrados. Nele, um garoto chamado Jim Hawkins cujos pais são proprietários e moradores de uma pequena pensão (mais conhecida como Hospedaria Almirante Benbow), numa cidade litorânea da Inglaterra, vive diversas aventuras após a chegada de um velho lobo do mar. Diversos fatos vão acontecendo, até que o jovem menino (e narrador da história) se vê em um navio indo em busca de um tesouro.



http://www.elivros-gratis.net/scripts/download.asp?SEC=9&FL=Robert-Louis-Stevenson-A-Ilha-do-Tesouro.zip
6
LEIA SEMPRE AQUI! / Coreia do Norte abandona prome...
Última mensagem por noticias - 23,Janeiro, 2020, 21:01:59 pm
Coreia do Norte abandona promessa de congelamento nuclear e culpa sanções 'brutais' dos EUA


   Conselheiro da missão da Coreia do Norte na ONU diz que 'se EUA persistirem em uma política tão hostil, nunca haverá a desnuclearização da península coreana'. País interrompeu durante dois anos seus testes, mas diz não ver razão para continuar compromisso de forma unilateral.  O presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-Un, assinam declaração conjunta em Singapura, em junho de 2018
Reuters/Jonathan Ernst
A Coreia do Norte informou na terça-feira (21) que não está mais vinculada aos compromissos de interromper os testes nucleares e de mísseis, culpando o fracasso dos Estados Unidos em cumprir o prazo de final do ano para negociações nucleares e as sanções norte-americanas "brutais e desumanas".
O líder norte-coreano, Kim Jong-un, estabeleceu o prazo de final de dezembro para as negociações de desnuclearização com os Estados Unidos e o conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, Robert O'Brien, disse na época que os EUA tinham aberto canais de comunicação.
O'Brien afirmou que esperava que Kim seguisse os compromissos de desnuclearização que ele assumiu em cúpulas com o presidente dos EUA, Donald Trump.
Ju Yong Chol, conselheiro da missão norte-coreana na ONU em Genebra, disse que nos últimos dois anos seu país interrompeu testes nucleares e de lançamentos de mísseis balísticos intercontinentais "a fim de construir confiança com os Estados Unidos".
Mas os EUA reagiram com dezenas de exercícios militares conjuntos com a Coreia do Sul na península dividida e impondo sanções, disse ele.
"Como ficou claro agora que os EUA permanecem inalterados em sua ambição de impedir o desenvolvimento da Coreia do Norte e de sufocar seu sistema político, não encontramos razão para ficarmos unilateralmente vinculados pelo compromisso que a outra parte deixa de honrar", declarou Ju na Conferência sobre Desarmamento, apoiada pela ONU.
Ju acusou ainda os Estados Unidos de aplicar "as sanções mais brutais e desumanas".
"Se os EUA persistirem em uma política tão hostil em relação à Coreia do Norte, nunca haverá a desnuclearização da península coreana", disse ele.
Na virada do ano, Kim já havia anunciado a retomada dos testes com armas nucleares. Veja no vídeo abaixo.
Coreia do Norte anuncia volta dos testes com armas nucleares

Source: Coreia do Norte abandona promessa de congelamento nuclear e culpa sanções 'brutais' dos EUA
7
LEIA SEMPRE AQUI! / 'O pior inimigo do meio ambien...
Última mensagem por noticias - 22,Janeiro, 2020, 21:01:05 pm
'O pior inimigo do meio ambiente é a pobreza', diz Paulo Guedes em Davos

Segundo o ministro da Economia, as pessoas destroem o meio ambiente 'porque precisam comer'.  Guedes: Brasil está retomando crescimento econômico sustentável
O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta terça-feira (21), durante sua participação em painel no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, que "o pior inimigo do meio ambiente é a pobreza".
A declaração do ministro foi dada quando ele comentava sobre a relação entre indústria e meio ambiente.
"O pior inimigo do meio ambiente é a pobreza. As pessoas destroem o meio ambiente porque precisam comer. Eles [pessoas pobres] têm todas as preocupações que não são as preocupações das pessoas que já destruíram suas florestas, que já lutaram suas minorias étnicas, essas coisas... É um problema muito complexo, não há uma solução simples", declarou Guedes.
O ministro também afirmou que "todos precisamos de mais alimentos", mas que, dependendo dos produtos químicos necessários para produzir mais alimentos, "você não tem um meio ambiente limpo". "E essa é uma solução política. Não é simples, é muito complexa", afirmou.
Em novembro, ao comentar os dados sobre queimadas na Amazônia, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o desmatamento é uma questão "cultural" no país, e que por isso não é possível acabar com ele. Em julho, Bolsonaro também havia afirmado ser uma "grande mentira" que pessoas passem fome no Brasil, classificando a legislação ambiental do país de "psicose".
Guedes diz que Brasil vai abrir compras do governo a estrangeiros
'Equilíbrio delicado' entre indústria e verde
Segundo Guedes afirmou nesta terça-feira, o "primeiro nível" de preocupações no Brasil é remover o ambiente hostil para negócios em geral, "receber e recolocar todo esse conhecimento já disponível em todo o mundo" sobre inovação na indústria. "Em um país como o Brasil, estamos um pouco para trás. Para não dizer muito para trás", afirmou.
"O povo quer ter as indústrias e os empregos. E ao mesmo tempo há uma pressão enorme para manter 'verde'. É um equilíbrio delicado, mas estou certo de que vamos conseguir", concluiu.
Ministro Paulo Guedes participa do Fórum Econômico Mundial
Futuro da indústria
Durante o painel em Davos, Paulo Guedes afirmou que o Brasil foi "deixado para trás" na indústria do futuro. "Perdemos essa grande onda de inovação e globalização", disse. Para o ministro, a mudança do trabalho "com as nossas mãos" para o trabalho "com as nossas mentes" vai levar um tempo, "mas estamos correndo atrás".
Segundo o ministro, a indústria do futuro será centrada nas pessoas, com valorização do talento e da criatividade. E o papel do governo, de acordo com ele, não é inovar, mas garantir que haja um ambiente de negócios e acadêmico que permita apropriar o conhecimento existente.

Source: 'O pior inimigo do meio ambiente é a pobreza', diz Paulo Guedes em Davos
8
PROJETO LEITURA! / A Empacotadora
Última mensagem por marcosbr - 21,Janeiro, 2020, 22:55:36 pm
Hadassa anseia pelo seu primeiro emprego, a garota, de apenas quatorze anos, esta radiante por ter sido selecionada para trabalhar em um grande supermercado de Salvador e, como todo iniciante, pensa em crescer la dentro. Mas não sabe das surpresas que lhe esperam. Alegrias e tristezas, amizades e decepções. Sera que ela alcançara seu objetivo?... Sera que uma adolescente como ela terá estrutura para suportar as armadilhas que lhe serao preparadas? O trabalho infantil é mais uma vez colocado em pauta por Cristiano Sousa, mostrando as maldades que são praticadas, em nome do progresso, com nossos pequeninos, financiadas pelos donos do poder. Amizades, brigas, invejas, amor, vingança, entretenimento, exploração e trabalho, muito trabalho, são o que permeiam as paginas desse livro.



http://www.elivros-gratis.net/scripts/download.asp?SEC=15&FL=Cristiano-Sousa-A-empacotadora.zip&NOME=A%20Empacotadora&AUTOR=Cristiano%20Sousa
9
LEIA SEMPRE AQUI! / Colômbia contraria EUA e não i...
Última mensagem por noticias - 21,Janeiro, 2020, 20:01:30 pm
Colômbia contraria EUA e não inclui as Farc na lista de grupos terroristas


   Organização se tornou partido político recentemente. Presidente Iván Duque anunciou outras organizações que passam a ser consideradas terroristas pelo governo colombiano — entre elas, o Hezbollah. Presidente da Colômbia, Iván Duque, participa nesta segunda-feira (20) de cerimônia em homenagem aos mortos em atentado em Bogotá há um ano
Luisa Gonzalez/Reuters
O presidente da Colômbia, Iván Duque, anunciou nesta segunda-feira (20) uma série de organizações que o país sul-americano passa a reconhecer como terrorista, após recomendação dos Estados Unidos e da União Europeia. Porém, o governo colombiano decidiu excluir da lista as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) ao justificar que o grupo se tornou um partido político em 2017.
O anúncio foi feito durante um encontro de líderes das Américas para debater a luta contra o terrorismo. Entre os participantes, estão o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, e o autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó (leia no fim da reportagem alguns dos grupos que a Colômbia considerou terrorista).
Em documento divulgado pela emissora Caracol Radio e pelo jornal "El Tiempo", o Conselho de Segurança Nacional colombiano afirma que a nomeação das Farc como uma organização terrorista partiu dos EUA, país que manteve essa classificação.
"O Conselho de Segurança Nacional da Colômbia exclui da lista transcrita de organizações terroristas pelos Estados Unidos da América as FARC, por serem um partido político", diz o texto.
Apoiadores do partido Farc no encerramento da campanha para as eleições legislativas em Fusagasuga, em 2018
Felipe Caicedo/Reuters
As Farc se lançaram na política colombiana em 2017, um ano depois de abandonar as ações armadas no país. O grupo, inclusive, mudou de nome para Força Alternativa Revolucionária do Comum, e participou das mais recentes eleições.
Líder das Farc anuncia volta do conflito armado na Colômbia
Porém, em agosto do ano passado, o ex-número dois das Farc Iván Márquez anunciou a retomada da luta armada ao considerar que o governo Duque não respeitou o acordo de paz firmado entre os militantes e o governo. O núcleo do partido, porém, rejeitou a retomada dos conflitos. Relembre no vídeo acima.
E quais grupos a Colômbia considera terrorista?
Juan Guaidó, autoproclamado presidente da Venezuela, e Iván Duque, presidente da Colômbia, cumprimentam-se em encontro sobre luta contra o terrorismo em Bogotá nesta segunda-feira (20)
Luisa Gonzalez/Reuters
O governo colombiano incluiu na lista alguns dos grupos que atuam na própria Colômbia, como o Exército de Libertação Nacional (ELN), e internacionalmente, como o Hezbollah.
O ELN é uma guerrilha que atua na fronteira da Colômbia com a Venezuela e que esteve por trás de atentados recentes como a explosão de um carro-bomba em frente à escola da polícia em Bogotá, há um ano.
O Hezbollah é uma facção sediada no Líbano formada por militantes radicais da minoria xiita no país. Apoiado pelo Irã, o grupo nasceu na década de 1980 para enfrentar tropas de Israel que ocupavam o território libanês. De acordo com Duque, "há informações de que a organização islamita atue na Venezuela".
Initial plugin text
O presidente Iván Duque também informou que a Colômbia adotará listas de pessoas e grupos terroristas da União Europeia e dos EUA que "permitirão detectar oportunamente membros de células como o Hezbollah, o Estado Islâmico e a Al Qaeda".
"Diante do terrorismo, há apenas uma saída: a aplicação rigorosa e drástica da lei. Ante as ameaças globais, é mais forte a capacidade de união", afirmou Iván Duque em entrevista coletiva.
"Começamos uma nova década dispostos a derrotar o terrorismo como um flagelo global", disse.
Além disso, em uma mensagem nas redes sociais, Duque afirmou que a medida permitirá:
impedir entrada, trânsito e permanência de membros desses grupos no país
fortalecer cooperação judicial e intercâmbio de informações
perseguir o financiamento dessas organizações e de atos terroristas

Source: Colômbia contraria EUA e não inclui as Farc na lista de grupos terroristas
10
LEIA SEMPRE AQUI! / Músicos em greve protestam com...
Última mensagem por noticias - 20,Janeiro, 2020, 14:00:59 pm
Músicos em greve protestam com concerto aberto nas escadas da Ópera de Paris


   Ópera Nacional de Paris tem cerca de 1.600 membros, que possuem um regime especial de aposentadoria, ameaçado diante da proposta do governo Macron.  Músicos fazem apresentação gratuita nas escadarias da Ópera de Paris
Charles Platiau/Reuters
Diante de uma multidão, os músicos da Ópera de Paris fizeram um concerto aberto nas escadas do Palácio Garnier na tarde deste sábado (18) como forma de protesto contra a reforma da previdência francesa.
Em greve há 45 dias, os artistas abriram uma exceção para esta apresentação diante de turistas, de parisienses, mas também de professores e outros trabalhadores que seguem com a paralisação.
Macron abre mão de futura aposentadoria como ex-presidente da França
A apresentação de cerca de 30 minutos começou com um trecho da ópera "Troianos", de Berlioz, seguido por "Il trovatore", de Verdi, e um trecho de "Carmen", de Bizet. O espetáculo terminou com o hino francês, "A Marselhesa", acompanhado por aplausos do público, que encaixava gritos de "Viva a greve".
Esta foi a quarta apresentação pública dos artistas que tentam sensibilizar a população para sua situação e fazem uma "caixinha de greve". Na véspera do Natal, imagens das bailarinas dançando "O Lago dos Cisnes" rodaram o mundo.
Regime especial
Músicos da Ópera de Paris fazem apresentação como forma de protesto
Charles Platiau/Reuters
A Ópera Nacional de Paris tem cerca de 1.600 membros, que se beneficiam de um regime especial de aposentadoria sob risco diante da proposta do governo Macron. A Comédie Française, que também conta com um regime especial, também está paralisada desde o início das manifestações.
Os funcionários das duas entidades pedem a retirara do projeto de reforma da previdência.
Os artistas desses órgãos têm um sistema especial concedido em 1698 pelo rei Luís XIV que permite aos músicos se aposentarem aos 60 anos, coristas, aos 57 anos e dançarinos, aos 42 anos. O sistema teria fim na proposta atual, e eles teriam de entrar no regime universal.
Desde dezembro, 67 espetáculos Ópera de Paris foram cancelados, uma perda de mais de 12 milhões de euros em receitas comerciais. Esta é certamente a greve mais longa dos últimos 30 anos, informou um porta-voz.
Na Comédie Française, 31 das 39 apresentações foram canceladas em dezembro, uma perda financeira superior a 620 mil euros. As peças, no entanto, foram retomadas em janeiro.

Source: Músicos em greve protestam com concerto aberto nas escadas da Ópera de Paris
Páginas1 2 3 ... 10