Famílias de vítimas do massacre de Sandy Hook fecham acordo com empresa fabricante de armas

Iniciado por noticias, 17, Fevereiro, 2022, 12:29

« anterior - seguinte »

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

noticias

Famílias de vítimas do massacre de Sandy Hook fecham acordo com empresa fabricante de armas


   Em dezembro de 2012, 20 alunos e 6 adultos foram assassinados na cidade de Newtown, no estado de Connecticut, por um homem com um rifle da Remington. Ele já havia matado a própria mãe em casa. Memorial é montado perto da entrada da escolar Sandy Hook, em 2012
Mike Segar/Reuters
A empresa de armas Remington fechou um acordo com famílias nove vítimas do massacre na escola infantil Sandy Hook, de acordo com documentos na Justiça tornados públicos nesta terça-feira (15).
Essa é a primeira vez que uma fabricante de armas foi responsabilizada por um massacre nos Estados Unidos.
Em dezembro de 2012, 20 alunos e 6 adultos foram assassinados na cidade de Newtown, no estado de Connecticut, por um homem com um rifle da Remington. Ele já havia matado a própria mãe em casa.
Veja abaixo um trecho de uma edição de 2019 do Profissão Repórter sobre porte de armas por professores nos EUA.
Massacres em escolas levantam debate sobre porte de arma por professores nos EUA
O valor do acordo não foi revelado no documento da Justiça.
Em julho, a Remington ofereceu pagar cerca de US$ 33 milhões (cerca de R$ 171 milhões) às nove famílias.
A Remington entrou em recuperação judicial em 2018. Naquele mesmo ano, a empresa passou a ser controlada por antigos credores. Em julho de 2020, a empresa pediu falência.
Comerciantes de armas passaram a restringir as vendas por causa de massacres em escolas.
Processo contra conspiracionistas
Em novembro de 2021, a Justiça dos EUA tomou uma decisão favorável aos dos pais de vítimas que processaram o conspiracionista Alex Jones, que dizia que o massacre de Sandy Hook foi uma farsa.
Jones, um radialista de extrema direita que dirige o site Infowars, afirmou que o tiroteio em massa foi encenado como parte de um complô do governo para tirar as armas dos americanos. Ele disse até que os familiares enlutados eram atores pagos.
Em 2018, seis famílias de vítimas entraram com um processo contra ele, alegando que ele havia ganhado milhões de dólares vendendo uma narrativa que era sabidamente falsa.
Barbara Bellis, juíza do estado de Connecticut, responsabilizou Jones por omissão depois que ele se recusou a entregar documentos, incluindo registros financeiros solicitados pelo tribunal, de acordo com a imprensa dos EUA.
"O Sr. Jones teve todas as oportunidades de cumprir (com a lei), mas quando decidiu reter as provas por mais de dois anos, o tribunal não teve escolha a não ser decidir como fez hoje", explicou Chris Mattei, que representa os demandantes, em um comunicado.
"Embora a decisão de hoje seja uma vitória legal, a batalha para esclarecer o quão profundamente o Sr. Jones prejudicou essas famílias continua", disse a juíza Bellis.
Um juiz do Texas emitiu recentemente decisões semelhantes em três processos por difamação movidos por famílias de Sandy Hook no estado.
Os jurados em ambos os estados agora decidirão o valor que as famílias devem receber como compensação por parte de Jones, que desde então reconheceu que o tiroteio foi real.
Veja os vídeos mais assistidos do g1

Source: Famílias de vítimas do massacre de Sandy Hook fecham acordo com empresa fabricante de armas