O "livro" do Brasil

Iniciado por marcosbr, 09Janeiro2016, 23:38

« anterior - seguinte »

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

marcosbr

Tudo isto depois de ver um jornal televisivo...

Aproveitamento do livro no ano seguinte!


Um livro não foi feito para ser colocado na estante e esquecido. Também não foi feito para "olhar"
O aluno que devolver um livro em mau estado, mas que tenha feito "bom uso" do mesmo... Merece mais credito do que aquele que não leu e devolveu em perfeito estado! Para isto, basta os que professores se interessem pelo que ensinam. Um livro para ser entendido, exige inicio/meio e fim... Baste alguns "questionamentos" e a verdade vem a tona. Sou fã da sabatina, ou quem sabe la o nome e dia da semana escolham. Num país que se aflora a roubalheira diária... Acho surreal pedir que economizem" livros! O Brasil sempre foi o pais do futuro. Leia aqui. A esperança deste políticos era o Brasil campeão. Mas eles não contavam com a Alemanha... Agora estão apostando numa OLIMPÍADA super faturada. Tomara que ganhemos algum "ouro" (ouro super faturado) O verdadeiro futuro esta nos professores "F.. e mau pagos" (que me desculpem o F...) E nos alunos que confiam e acreditam num futuro melhor.
Alunos que "conversam" com professores, alunos que ouvem professores, alunos que "são" professores...

Eu sempre fui pobre e sempre soube que o "Chico" era rico. O pequeno burgues. Ruim ou bom?

Fiquei envergonhado de saber que "alunos" hostilizaram chico Buarque.

Talvez eles não saibam que o "Chico" homenageou Gonzaguinha desta forma. Eu me sinto como nascido no "brejo da cruz"
O Brasil é o "brejo da cruz"

https://youtu.be/3T8IlWG3b9g

Professores como o "Jean e sua esposa" Devem ser uma esperança!

  Se ele "errou" eu aceito (Chico). Mas quem nunca errou atire a primeira pedra!

E para Elaine (minha filha) e para todos. Nascemos no "BREJO DE CRUZ"
Um são advogados, médicos, juízes, etc... Mas também viveram nus...
Gonzaguinha nasceu em "brejo da cruz" em uma cidade real.

Para Elaine. A flor murcha e cai... Mas o amor permanece!


Desculpem os erros, mas a "emoção" não erra!





Desculpe a "formatação" do texto. Foi automática.


   
Deus nos concede, a cada dia, uma página de vida nova no livro do tempo. Aquilo que colocarmos nela, corre por nossa conta. (Chico Xavier)

Percí

O caos instalado no nosso país já vai além de uma posição política ou outra, eu mesmo se não for um analfabeto político sou no mínimo mal formado, porém por buscar um entendimento maior a respeito dos motivos da nossa realidade vejo que tudo isso ocorre como movimento natural e que as causas são bíblicas, não podemos endurecer diante do mal vigente e nem tampouco nos permitir perder o foco da razão quando sabemos que todos estão perdidos sem mesmo sequer ter um objetivo claro de vida, enquanto nossas crianças estiverem vendendo balas no semáforo ou sendo exploradas de formas que nem ouso pronunciar que consideração haverão de receber os artistas? Esses fatos me lembram a brincadeira de "telefone sem fio" onde aquilo que se ouve nada mais tem a ver com a mensagem inicial e esses "anti-petistas" parecem "soldadinhos de chumbo" irracionais lutando por causas que desconhecem. Chico e seus amigos depois devem ter dado boas risadas dado o grau de esclarecimento que acredito devam ter.
A vida inteligente é a posterior realização da anterior possibilidade de existir da matéria          (Percí)

Percí

Eu não conhecia Jean e sua esposa, mas certamente aqueles que semeiam o bem devem ser uma esperança. A condição miserável em que vive o ser humano independentemente de sua situação financeira vem do engano original desde que a serpente convenceu Eva a consumir do fruto da árvore da sabedoria, o castigo está acontecendo, era isso que Deus quis dizer com "certamente morrerás" e que a serpente rebateu dizendo à Eva que não porque nossos olhos se abririam e seríamos como ele (Deus) sabendo o que é bom e o que é mau, a serpente não mentiu de todo, nossos olhos se abriram mas não saber o que é bom e o que é mau tem sido nossa pena.
A vida inteligente é a posterior realização da anterior possibilidade de existir da matéria          (Percí)