Peru terá o terceiro presidente em uma semana

Iniciado por noticias, 17Novembro2020, 21:00

« anterior - seguinte »

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

noticias

Peru terá o terceiro presidente em uma semana

Instabilidade política se consolida em país onde os chefes de Estado são forjados pela interinidade Pedro Pablo Kuczynski (esq.), Martín Vízcarra (cen.) e Manuel Merino (dir.), montagem dos três presidentes do Peru desde 2016
Reuters/AFP/G1
Durou apenas seis dias o governo de Manuel Merino, que, como presidente do Congresso peruano, liderou a manobra para impugnar o então presidente do país, Martín Vizcarra.  Sem legitimidade e respaldo da comunidade internacional, e questionado nas ruas com protestos diários, ele renunciou no domingo, após a morte de dois jovens em confrontos violentos.
Presidente interino do Peru renuncia após ficar menos de uma semana no cargo
No Peru, dois morrem em manifestações, ministros renunciam em massa, e presidente que assumiu há menos de uma semana sofre pressão para deixar o cargo
Peru fica sem presidente depois da renúncia de interino
O Peru enfrenta, novamente, convulsão e instabilidade política -- realidade agora agravada pela pandemia do novo coronavírus. O país amanhece  nesta segunda-feira sem chefe de Estado, que, se for escolhido esta tarde pelo Congresso, será o terceiro a ocupar o cargo em menos de uma semana.
Em mais de três décadas, todos os presidentes se envolveram em escândalos de corrupção, a maioria deles denunciada na esteira da Lava-Jato e vínculos com a Odebrecht.  Alberto Fujimori cumpre três condenações por corrupção e crimes contra a Humanidade; Alan García se suicidou antes de ser preso; Alejandro Toledo fugiu para os EUA; Ollanta Humala foi detido por três meses. Pedro Pablo Kuczynski renunciou em 2018 e está em prisão domiciliar.
O vice-presidente Vizcarra assumiu o vazio deixado por Kuczynki. Na última segunda-feira, foi afastado por "incapacidade moral permanente", acusado de receber US$ 630 mil em propinas há seis anos, como governador de Moquegua.
No terceiro mandato pelo partido de centro-direita Ação Popular, Manuel Merino, já tinha tentado, como presidente do Congresso, destituir Vizcarra em setembro passado, num processo de impeachment articulado com integrantes das Forças Armadas. O plano fracassou.
Na segunda tentativa, semana passada, baseou-se na investigação aberta em outubro pelo Ministério Público, mas ainda em fase preliminar, para conseguir impugnar o presidente com aprovação de 105 dos 130 deputados. Assumiu o cargo, mas sem apoio popular: segundo pesquisas de opinião, 70% rejeitaram a manobra do novo presidente.
Os seis dias de governo foram caóticos, marcados por manifestações, às quais Merino atribuiu a extremistas e reprimiu com violência. Grupos de direitos humanos contestam, unanimemente, a ação das forças de segurança e denunciam o desaparecimento de 40 pessoas nos protestos pacíficos deste sábado.
Diante da pressão e da falta de apoio político, Merino deixou o cargo com um alerta contra a corrupção, embora ele também tenha sido alvo de processos.  Caberá novamente ao Congresso destrinchar esse imbróglio, escolhendo uma nova mesa diretora, cujo chefe formalmente será o novo presidente.
Uma lista única liderada pela deputada Rocío Silva Santisteban, do partido de esquerda Frente Ampla, porém, não obteve votos suficientes durante a madrugada. A votação foi adiada para esta tarde.
Quem quer que assuma a Presidência do país – a esta altura até o retorno de Vizcarra é cogitado -- terá um mandato provisório até as eleições programadas para abril. A interinidade do cargo, aliás, vem se eternizando ultimamente no Peru.
Veja os vídeos mais assistidos do G1

Source: Peru terá o terceiro presidente em uma semana

Similar topics (5)