PodParaná #103: Quem foi João Turin, considerado um dos maiores nomes do movimento paranista

Iniciado por noticias, 04, Novembro, 2022, 07:03

Tópico anterior - Tópico seguinte

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

PodParaná #103: Quem foi João Turin, considerado um dos maiores nomes do movimento paranista


   Artista renomado com mais de 400 obras catalogadas ajudou a construir símbolos reconhecidos até hoje como "a cara" do Paraná.  Em 1927, quase 170 anos após o Paraná se emancipar de São Paulo, dizer qual era a "cara" do estado não era uma tarefa fácil. Em um momento em que a população ainda buscava uma identidade própria, um nome se sobressaiu ao utilizar a arte para tentar resolver a questão: João Turin.
Artista responsável por obras que rodaram o Paraná e o mundo, Turin é considerado um dos grandes nomes do Paranismo, movimento político e artístico que buscava contribuir com a formação da identidade paranaense.
João Turin nasceu em 1878, em Morretes
Reprodução/Memorial Paranista
Entre os artistas que integraram o movimento, Turin segue tendo grande reconhecimento mesmo mais de 70 anos após a morrer. O artista foi responsável pela criação de mais de 400 obras catalogadas, entre esculturas, bustos, estátuas, baixos-relevos, pinturas, mobiliários e outros.
MAPA: Veja onde contemplar obras de João Turin em locais públicos de Curitiba
O episódio #103 do PodParaná. é dedicado aos trabalhos do artista e a explicar as marcas deixadas por Turin na história da arte paranaense.
PodParaná
Artes/g1 Paraná
Participam deste episódio:
Felipe Zem: mediador, produtor cultural e coordenador de ação de educação do Memorial Paranista;
Geraldo Leão: artista, doutor em história e professor do departamento de artes da Universidade Federal do Paraná (UFPR).
Você pode ouvir o PodParaná no g1, no Spotify, no Castbox, na Amazon, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, no Hello You ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o PodParaná, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.
A maior parte dos trabalhos de Turin está em Curitiba. Algumas obras estão em logradouros públicos, mas a maioria está no Memorial Paranista, no Parque São Lourenço.
Outras obras conhecidas de Turin estão no interior do estado, no Rio de Janeiro e em países da Europa, como a França - um dos pontos de passagem de quando ele viveu no exterior. Turin ficou fora do Brasil por 15 anos.
João Turin em seu ateliê, na França
Reprodução/Acervo joaoturin.com.br
Nascido em Morretes, no litoral do Paraná, João Turin veio de uma família humilde. Aos 9 anos se mudou para Curitiba e na infância brincava cobrindo a perna, tronco e braços com argila para fazer moldes.
Para chegar a ser o artista que foi, dependeu de muitas oportunidades. Uma bolsa de estudos do Governo do Paraná foi uma das principais.
Em 1905 ele vai para a Europa estudar na Real Academia de Belas Artes. Anos depois, volta para o Brasil e conquista espaço pouco a pouco, mesclando trabalhos sob encomenda e obras próprias, feitas em gesso e depois fundidas em bronze.
"Ele cita claramente, tem textos dele dizendo, que o artista sempre precisou de patronos, se não houvesse os medisses não haveria renascimento. Ele justifica a relação dele, e que é perfeitamente natural, de um artista que precisa de quem possibilite ele trabalhar", explica o artista, professor doutor em história e professor do departamento de artes da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Geraldo Leão.
Obras
O mediador, produtor cultural e coordenador de ação de educação do Memorial Paranista, Felipe Zem, detalha que uma das características que trouxe destaque à Turin foi o trabalho com animalismo.
Entre as obras mais conhecidas do artista está o Luar do Sertão, que retrata uma grande onça rugindo para o céu. A obra está na rotatória da Avenida Cândido de Abreu, no Centro Cívico, em Curitiba.
"Animalismo enquanto gênero das artes é um termo muito moderno, claro que existem representações na arte desde a primeira vez que alguém resolveu desenhar um bisão na parede de uma caverna... Mas criar uma obra de arte, esse objeto que a gente encara hoje como um objeto de contemplação, de apreciação, no qual um animal fosse o centro da cena, protagonista, e não uma montaria, uma caça, uma alegoria... E que recebesse o mesmo tratamento que uma figura humana".
Luar do Sertão
Reprodução/Acervo joaoturin.com.br
O movimento e contestações
O Paranismo começou em 1927, idealizado pelo escritor e político Romário Martins. O movimento foi definido por meio do Manifesto Paranista, publicado após a fundação do Centro Paranista.
O documento buscava a participação coletiva de artistas e da sociedade, mas em diversos trechos traz pontos que, anos depois, foram considerados excludentes. O movimento foi contestado pela geração seguinte de artistas, especialmente após o fim da Segunda Guerra.
O professor Geraldo Leão explica que algumas contestações ao paranismo surgiram porque, à época, o movimento era alinhado com linhas políticas conservadoras.
"O Paranismo, pelo momento em que acontece e pela ligação com os patronos, que eram paranaenses tradicionais, é muito mais ligado às correntes conservadoras do começo do século e a partir dos anos 1920, a parte da direita, como o fascismo [...] Ninguém sabia o que era o fascismo ou nazismo de verdade naquela época, a gente só via propaganda positiva, o fascismo é a mesma coisa [...] Era o conhecimento que se tinha".
Curiosidades
A pedido do g1, o Setor de Pesquisa e Patrimônio Histórico da Fundação Cultural de Curitiba (FCC) listou curiosidades da vida do artista. Confira abaixo:
Às sextas-feiras, Turin costumava sair com os amigos pintores Lange de Morretes, Theodoro De Bona ou Guido Viaro, dos quais herdou certa influência no esquema cromático e composicional.
João Turin era amigo de Victor Brecheret, artista responsável pelo Monumento às Bandeiras em São Paulo. Ambos se conheceram na Europa. Quando Turin retorna ao Brasil, deixa seu atelier e suas obras em Paris com Brecheret.
Para ampliar a área de criação e difusão dos temas paranistas, Turin estendeu as próprias habilidades ao design, concebendo uma série de objetos que vão de utilitários a desenhos de moda.
Turin também se dedicou à arquitetura, projetando um repertório ornamental composto de estilizações de motivos da flora paranaense sendo os símbolos principais o pinheiro, a pinha e o pinhão. Frisos, colunas, capitéis e detalhes para mobiliário, ilustrados com figuras indígenas e elementos da fauna e da flora regional, também marcam presença nas obras.
O PodParaná tem episódios semanais que contam a história de moradores do estado e tratam de temas importantes para os paranaenses.
Para sugerir temas e interagir com a equipe, os ouvintes podem usar o aplicativo Você na RPC.
VÍDEOS: mais assistidos do g1 PR
Veja mais episódios na página especial do PodParaná.

Source: PodParaná #103: Quem foi João Turin, considerado um dos maiores nomes do movimento paranista
  • Visualizações 700 
  • LEIA SEMPRE AQUI!
  • 0 Respostas




Tópicos semelhantes (5)