Secretário-geral da ONU nega ter justificado ataque de Hamas a Israel

Iniciado por noticias, 27, Outubro, 2023, 00:16

Tópico anterior - Tópico seguinte

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Secretário-geral da ONU nega ter justificado ataque de Hamas a Israel


     Representante de Israel na ONU, Gilad Erdan, pediu novamente a demissão de António Guterres nesta quarta-feira (25), após o secretário reforçar a condenação aos ataques do grupo terrorista Hamas. Secretário-geral da ONU nega ter justificado ataque de Hamas a Israel
O secretário-geral da ONU, António Guterres, negou nesta quarta-feira (25) ter justificado qualquer ataque do Hamas contra Israel durante sua fala no Conselho de Segurança da ONU.
"Estou chocado com as interpretações erradas de algumas das minhas declarações de ontem no Conselho de Segurança – como se eu estivesse justificando os atos de terror do Hamas. Isso é falso, foi o oposto", disse no pronunciamento.
Na terça-feira (24), em discurso de abertura da sessão, o secretário-geral falou de uma "ocupação sufocante" de Israel na Palestina. Ele reforçou o pedido nesta quarta (saiba mais abaixo).
"É importante reconhecer que os atos do Hamas não aconteceram por acaso. O povo palestino foi submetido a 56 anos de uma ocupação sufocante. Eles viram suas terras serem brutalmente tomadas e varridas pela violência. A economia sofreu, as pessoas ficaram desabrigadas e suas casas foram demolidas", disse Guterres na ocasião.
Porém, em seguida, ele completou dizendo que o "sofrimento do povo palestino não poderia justificar os ataques do Hamas".
Marcelo Lins sobre fala de Guterres: 'Fala forte de um homem fraco em uma instituição desprestigiada'
As autoridades israelenses criticaram o discurso do secretário-geral. Ainda na terça, o ministro das Relações Exteriores israelense, Eli Cohen, cancelou uma reunião agendada com Guterres, enquanto o enviado de Israel à ONU, Gilad Erdan, pediu a demissão do secretário-geral, dizendo que Israel deve repensar as suas relações com o organismo mundial.
Nesta quarta-feira,  Erdan afirmou à rádio do exército israelense que recusou o visto do chefe de assuntos humanitários da ONU, Martin Griffiths, como represália ao comentário de Guterres.
"Recusaremos conceder vistos a representantes da ONU. Já nos recusamos a dar um ao subsecretário-geral para Assuntos Humanitários, Martin Griffiths", disse à rádio. "É hora de ensinar uma lição a eles."
António Guterres durante discurso na ONU em 25 de outubro de 2023
ONU via REUTERS
Após a repercussão negativa, Guterres fez um discurso breve em que reiterou partes de seu discurso feito na abertura do Conselho de Segurança da ONU na terça.
"No início da minha fala de ontem, afirmei claramente – e volto a citar: 'Condeno inequivocamente os horríveis e sem precedentes atos de terror de 7 de outubro cometidos pelo Hamas em Israel.'"
"Nada pode justificar o assassinato, o ferimento e o rapto deliberado de civis – ou o lançamento de foguetes contra alvos civis", disse.
Guterres afirmou ainda que acredita ser necessário o esclarecimento da fala no discurso "por respeito às vítimas e às suas famílias."
Embaixador pede saída do secretário novamente nesta quarta
Após breve discurso reforçando sua condenação aos ataques do grupo terrorista Hamas, o embaixador de Israel,  Gilad Erdan, disse, novamente nesta quarta-feira (25), que o secretário deve sair do cargo.
"É uma vergonha para a ONU que o secretário-geral não se retrate das suas palavras e nem sequer seja capaz de pedir desculpa pelo que disse ontem. Ele deve demitir-se."
Em represália, ainda na terça-feira (24), autoridades israelenses cancelaram a reunião que teriam com o secretário e pedirão a demissão dele.

Source: Secretário-geral da ONU nega ter justificado ataque de Hamas a Israel
  • Visualizações 43 
  • LEIA SEMPRE AQUI!
  • 0 Respostas




Tópicos semelhantes (5)