Mensagens recentes

#1
LEIA SEMPRE AQUI! / Príncipe saudita visita Turqui...
Última mensagem por noticias - Ontem às 03:02
Príncipe saudita visita Turquia pela primeira vez desde assassinato de Jamal Khashoggi


   Khashoggi, jornalista saudita de oposição, foi assassinado dentro da Embaixada da Arábia Saudita em Ancara. Mohammed bin Salman se encontrou com Tayip Erdogan em Ancara.  Erdogan, atrás, e o príncipe saudita Mohammed bin Salman durante encontro em Ancara, na Turquia, em 22 de junho de 2022.
Reuters
O príncipe da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, chegou nesta quarta-feira (22) à Turquia em sua primeira visita ao país desde o assassinato, dentro da Embaixada de seu país em Ancara, do jornalista Jamal Khashoggi, de oposição a seu regime.
A visita é vista como uma tentativa de Salman de ampliar sua área de influência para além do Golfo Pérsico. Por outro lado, o presidente turco, Recep Tayip Erdogan, busca apoio político para sua tentativa de reeleição, em meio a uma profunda crise econômica em seu país.
Ambos se reuniram em Ancara nesta manhã para selar a volta das relações entre os dois países, que já vem sendo costurada desde o início do ano. Em abril, em uma decisão vista como puramente política, a Justiça da Turquia resolveu arquivar e transferir para a Arábia Saudita o julgamento de suspeitos pelo assassinato de Jamal Khashoggi.
'Assassinato de jornalista foi planejado com antecedência', diz presidente turco
Reprodução/JN
Khashoggi foi morto esquartejado em 2018 dentro do consulado da Arábia Saudita em Ancara, na Turquia. Ele havia ido buscar uma certidão para poder se casar com sua noiva turca. Embora câmeras tenham registrado a entrada do jornalista, que foi correspondente do jornal norte-americano "Washington Post", ele nunca saiu do consulado. Depois, investigações descobriram que Khashoggi, um crítico ferrenho do governo saudita, foi esquartejado e estrangulado até a morte lá dentro.
Erdogan recebeu o príncipe saudita no palácio presidencial, em Ancara. Nenhum dos dois deu declarações após o encontro, mas oficiais da Turquia informaram à agência de notícias Reuters que ambos fecharam acordos de comércio, energia, economia e segurança.
Assassinato
Um dos relatórios elaborados pelos serviços de inteligência americanos acusa o príncipe herdeiro de ter "validado" o bárbaro assassinato. Depois de negar qualquer envolvimento no crime, Riad admitiu que agentes sauditas, que teriam agido sozinhos, eram responsáveis pela morte do jornalista. No final de um opaco processo na Arábia Saudita, cinco pessoas foram condenadas à morte e três a penas de prisão.
Leia também:
Relatório dos EUA acusa príncipe saudita Muhammad bin Salman pela morte de Khashoggi
Finlândia e Suécia abrem conversas com Turquia sobre entrada na Otan

Source: Príncipe saudita visita Turquia pela primeira vez desde assassinato de Jamal Khashoggi
#2
LEIA SEMPRE AQUI! / Massacre no Texas: porta de sa...
Última mensagem por noticias - 23, Junho, 2022, 03:01
Massacre no Texas: porta de sala estava aberta, diz governo; criticada por demora, polícia esperava chaves


   Atirador ficou quase uma hora dentro de colégio, onde matou 19 crianças e duas professoras. Policiais esperaram no corredor e afirmavam que porta estava trancada.  Homenagem às vítimas de ataque de um atirador à Robb Elementary School, em Uvalde, Texas, que deixou 21 pessoas mortas.
BBC
A porta da sala de aula onde um atirador matou 19 crianças e duas professoras há quase um mês no Texas, nos Estados Unidos, estava aberta, revelou o Departamento de Segurança Pública do estado nesta terça-feira (21).
A informação traz uma reviravolta importante no caso. Isso porque os policiais que atuaram no momento do ataque alegaram que não entraram na sala de aula onde o atirador estava porque a porta estava trancada, e eles esperavam que o zelador viesse abri-la. No lugar disso, os policiais esperaram no corredor por cerca de 40 minutos, enquanto o atirador matava as crianças.
"Eu  não acredito, baseado nas informações que temos agora, que a porta esteve sequer trancada em algum momento", declarou o diretor do Departamento de Segurança Pública do Texas, Steven McCraw. 
Combinação de fotos mostra algumas das vítimas do massacre em uma escola de ensino fundamental de Uvalde, no Texas. Da esquerda para a direita, os estudantes: Uziyah Garcia, 8 anos; Xavier Lopez, 10 anos; Amerie Jo Garza, 10 anos; Xavier Lopez, 10 anos; e as professoras Eva Mireles e Irma Garcia
Reprodução/Redes Sociais; AP
Após o massacre, a atuação de policiais convocados para deter o atirador no momento do ataque foi muito criticada. Um dia depois, a própria polícia admitiu ter errado ao esperar demais para confrontar o atirador.
McCraw afirmou ainda não haver também, até agora, evidências de que os policiais se aproximaram para checar se a porta estava trancada.
'ESPALHEI SANGUE DE AMIGA EM MIM': sobrevivente conta que fingiu estar morta para escapar de massacre em escola
ATIRADOR: assassino atirou contra a avó antes de abrir fogo em colégio, diz governador
Massacre em escola do Texas esquenta discussão sobre facilidade para comprar armas nos EUA
O ataque ao colégio em Uvalde é considerado o mais mortal do país desde o tiroteio na escola Sandy Hook, em 2012, quando 20 crianças e seis adultos foram mortos a tiros, e gerou uma onda de debates no Congresso sobre a necessidade da reforma da Legislação do país, que permite a todos os cidadãos maiores de 18 anos comprarem armas livremente.
O assassino, um adolescente de 18 anos, comprou um rifle no dia de seu aniversário. Ele chegou a atirar na avó antes de ir à escola primária, onde abriu fogo contra os alunos e professores. Ele morreu no local em confronto com policiais.
Initial plugin text

Source: Massacre no Texas: porta de sala estava aberta, diz governo; criticada por demora, polícia esperava chaves
#3
LEIA SEMPRE AQUI! / França: ex-camareira de hotel,...
Última mensagem por noticias - 22, Junho, 2022, 01:00
França: ex-camareira de hotel, deputada eleita Rachel Kéké quer dar voz a trabalhadores 'invisíveis'


   Ela se define como uma 'guerreira' e quer 'fazer barulho' no Palais Bourbon, sede da Assembleia Nacional, em Paris. 
Rachel Keke liderou greve de camareiras e agora será deputada na França
Rachel Keke/Instagram
Porta-voz de uma longa greve de camareiras em um hotel da capital francesa, Rachel Kéké foi eleita deputada no domingo (19) e pretende levar a voz dos trabalhadores "invisíveis" ao governo.
Aos 47 anos, a franco-marfinense obteve uma vaga de deputada na Assembleia Francesa pela coalizão de esquerda Nova União Popular Ecológica e Social (Nupes) em Val-de-Marne, a leste de Paris. Ela derrotou a ex-ministra do Esporte Roxana Maracineanu, da aliança governista Juntos.
A ativista da CGT ficou conhecida durante a greve de 22 meses das camareiras do hotel Ibis Batignolles, em Paris, entre 2019 e 2021, quando se mobilizou para melhorar os salários e as condições de trabalho das camareiras.
"É um trabalho que destrói o corpo. Há síndromes do túnel do carpo, tendinites, dores nas costas", explicou durante a campanha, ainda lembrando das sensações, "como se tivesse sido chutada de todo lado", após seu primeiro dia como faxineira, em 2003.
Mãe de cinco filhos, Rachel Kéké nasceu em 1974 na cidade de Abobo, a norte de Abidjan. A mãe era vendedora de roupas e pai motorista de ônibus. Ela chegou à França em 2000 e se naturalizou em 2015.
Assembleia longe da paridade homem-mulher
França: Macron perde maioria absoluta no Parlamento
Rachel Kéké será minoria na nova Assembleia da França, que ainda está longe da paridade, com 37,26% de mulheres. Com 215 deputadas contra 224 eleitas em 2017, o congresso do país está um pouco menos feminino do que na legislatura anterior (38,8%), que marcada por um número recorde de mulheres na Assembleia Nacional. Em 2012 as eleitas eram apenas 155. Essa é a primeira vez em 35 anos que a quantidade de deputadas diminui na França.
É na aliança de direita LR/UDI que as mulheres são proporcionalmente as menos presentes (29,5%). Elas são mais numerosas no Nupes (43,6%), seguida pela aliança governista Juntos (40,4%) Já o percentual de deputadas é de 37,1% no partido de extrema direita Reunião Nacional (RN), de Marine Le Pen.

Source: França: ex-camareira de hotel, deputada eleita Rachel Kéké quer dar voz a trabalhadores 'invisíveis'
#4
LEIA SEMPRE AQUI! / Ucranianos contêm ataques russ...
Última mensagem por noticias - 20, Junho, 2022, 23:00
Ucranianos contêm ataques russos no leste e Otan diz temer guerra de 'anos'


   Secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Jens Stoltenberg avalia que a guerra pode durar "anos" e, por isso, os países ocidentais devem se preparar para um apoio duradouro à Ucrânia. bandeira rasgada da Ucrânia pendurada em um fio em frente a um prédio de apartamentos destruído
Alexander Ermochenko/File Photo/REUTERS
O Exército ucraniano anunciou, neste domingo (19), que conseguiu frear os ataques russos perto da cidade de Severodonetsk, no leste do país, palco de intensos combates durante semanas nesta guerra que, de acordo com a Otan, poderá durar "anos".
"Nossas unidades conseguiram frear o assalto na região de Toshkyvka", declarou o Exército ucraniano em publicação no Facebook. "O inimigo se retirou", acrescentou a corporação. Serguii Gaidai, governador de Lugansk, região onde fica Severodonetsk, classificou como "mentiras" as declarações, segundo as quais a Rússia controla toda localidade. "É verdade que eles controlam a maior parte da cidade, mas não completamente", frisou.
Leia também
Mísseis russos destroem depósito de combustível no leste da Ucrânia e deixam um morto
'Disseram que espancamento era reeducação': as torturas sofridas por ucranianos que tentam escapar das tropas russas
Em Severodonetsk há mais de 500 civis, incluindo 38 crianças, entrincheirados em uma fábrica de produtos químicos para se proteger dos bombardeios, relatou Gaidai, acrescentando que a planta voltou a ser atingida por ataques aéreos nas últimas horas. Há vários dias, tenta-se estabelecer um corredor humanitário, mas sem sucesso. Russos e ucranianos acusam uns aos outros pelo fracasso da operação de retirada de civis.
De Moscou, o Ministério russo da Defesa afirmou que "a ofensiva contra Severodonetsk está sendo realizada com sucesso". "Unidades da milícia popular da República Popular de Lugansk, apoiadas pelas Forças Armadas russas, libertaram a cidade de Metolkin", a sudeste de Severodonetsk, relatou o ministério à imprensa.
"Não há lugar seguro"
Depois de fracassar em sua tentativa de tomar Kiev no início da ofensiva, em 24 de fevereiro passado, o objetivo da Rússia agora parece ser assumir o controle total do Donbass, composto pelas regiões de Lugansk e Donetsk. Desde 2014, esta região já é parcialmente controlada por separatistas pró-Rússia apoiados por Moscou.
"Não há lugar seguro", admitiu o governador em uma entrevista à AFP, de Lysychansk, na região de Lugansk. Os russos "bombardeiam nossas posições 24 horas por dia", descreveu.  "Tem um ditado que diz: você tem que se preparar para o pior, e o melhor virá", diz Gaidai. "Claro que temos que nos preparar", reitera o funcionário, que teme que os russos cerquem a cidade e bloqueiem as estradas que garantem o abastecimento.
Com uma população de cerca de 100.000 habitantes antes da guerra, apenas 10% permanecem em Lysychansk. E, na cidade, tudo e todos parecem estar se preparando para combates nas ruas: os soldados cavam buracos e colocam arame farpado; a polícia coloca carros incendiados para parar o trânsito; e muitos moradores que ainda estavam lá decidiram, enfim, ir embora.
"Largamos tudo e vamos embora. Ninguém pode sobreviver a um ataque desses", lamenta a professora de história Alla Bor.
Presidente da Ucrânia visita cidades que têm sido alvos frequentes de ataques da Rússia
"Não vamos dar o sul para ninguém"
Neste domingo, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, manifestou sua determinação de continuar resistindo no sul, após uma visita às cidades de Mykolaiv e Odessa no sábado.
"Não daremos o sul para ninguém. Vamos recuperar tudo. O mar será ucraniano e será seguro", prometeu, em um vídeo publicado no Telegram, após retornar para a capital do país, Kiev. "Estão confiantes e, olhando nos olhos deles, é óbvio que não duvidam de sua vitória", acrescentou Zelensky, referindo-se às suas tropas.
"As perdas são importantes, muitas casas foram destruídas, a logística civil foi afetada, e há muitos problemas sociais", admitiu Zelensky. "Pedi que as pessoas que perderam seus entes queridos recebam uma maior assistência. Vamos reconstruir tudo o que foi destruído. Os mísseis russos são menores do que a vontade de viver do nosso povo", declarou.
Mykolaiv tinha meio milhão de habitantes antes da guerra e segue sob controle ucraniano, mas fica perto de Kherson, uma região praticamente ocupada pelos russos.
Além disso, está localizada na estrada para Odessa, o maior porto da Ucrânia. Esta última também está sob controle ucraniano e no centro das negociações, pois há milhões de toneladas de grãos ucranianos bloqueados ali. A Rússia, que controla esta zona do mar Negro, argumenta que as águas estão minadas.
Guerra pode durar 'anos'
O otimismo de Zelensky diverge, no entanto, do panorama sombrio apresentado pelo secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Jens Stoltenberg. Em entrevista publicada neste domingo pelo jornal alemão Bild, ele avalia que a guerra pode durar "anos" e, por isso, os países ocidentais devem se preparar para um apoio duradouro à Ucrânia. "Temos de estar preparados para que isso dure anos", afirmou Stoltenberg.
"Não devemos esmorecer em nosso apoio à Ucrânia, mesmo que os custos sejam altos, não apenas em termos de apoio militar, mas também no aumento dos preços da energia e dos alimentos", completou.
Esta semana, a Rússia reduziu o fluxo de gás para a Europa Ocidental, alegando problemas técnicos. Em reação, a Alemanha anunciou medidas de emergência, neste domingo, para garantir seu abastecimento de energia. Isso significará recorrer mais ao carvão.
Trata-se de uma guinada de 180 graus para o governo de coalizão alemão, que inclui ambientalistas e que prometeu abandonar o uso do carvão no país até 2030. "É amargo, mas é indispensável reduzir o consumo de gás", disse o ministro da Economia, o ambientalista Robert Habeck, em um comunicado.
Já o Catar anunciou que o grupo italiano ENI vai-se unir à empresa francesa TotalEnergies no projeto North Field East, cujo objetivo é aumentar em 60% a produção de gás natural liquefeito no país do Golfo, até 2027.

Source: Ucranianos contêm ataques russos no leste e Otan diz temer guerra de 'anos'
#5
LEIA SEMPRE AQUI! / Paraguai diz que tripulante de...
Última mensagem por noticias - 19, Junho, 2022, 21:01
Paraguai diz que tripulante de avião retido na Argentina faz parte da guarda revolucionária iraniana


   A Al-Quds, força de elite dos Guardiões da Revolução do Irã, é classificada como organização terrorista pelos Estado Unidos. Boeing 747 de carga está detido em Buenos Aires há uma semana sob investigação, assim como sua tripulação composta por 14 venezuelanos e cinco iranianos. Imagem da fachada do hotel onde a tripulação de um avião venezuelano está hospedada na Argentina, em 14 de junho de 2022
Juan Mabromata / AFP
O chefe do serviço de inteligência do Paraguai, Esteban Aquino, afirmou nessa sexta-feira (17) que um dos tripulantes iranianos do avião de carga venezuelano retido na Argentina é Gholamreza Ghasemi, ligado à Força Al-Quds iraniana.
"O capitão Gholamreza Ghasemi não é um homônimo. É uma pessoa vinculada a Al-Quds", disse Aquino à AFP, em referência à força de elite dos Guardiões da Revolução do Irã, classificada como organização terrorista pelos Estado Unidos.
"Quando tivemos essa confirmação, alertamos nossos pares na região e outras partes do mundo", ressaltou o funcionário, que observou que o aviso "foi dado em tempo útil".
Sua declaração contradiz as do ministro argentino de Segurança, Aníbal Fernández, que na terça-feira alegou que apenas havia ocorrido uma coincidência de nomes.
"São homônimos, nada mais", afirmou Fernández ao relatar uma verificação de identidade realizada pela polícia federal argentina.
Um Boeing 747 de carga está detido em Buenos Aires há uma semana sob investigação judicial, assim como sua tripulação composta por 14 venezuelanos e cinco iranianos. A Justiça proibiu que os 19 tripulantes deixem o país.
O avião, que esteve no Paraguai em maio, pertence à empresa Emtrasur, uma subsidiária da venezuelana Conviasa, que está sob sanções do Tesouro americano. Foi comprado há um ano da companhia aérea iraniana Mahan Air.
Aquino acrescentou que "o alerta foi sobre a aeronave e a tripulação. Prova de que o alerta chegou é que houve intervenção. Houve um bom alerta em tempo oportuno", reiterou, ao reconhecer "a rápida reação do governo argentino, a mesma que o uruguaio".
O avião chegou na Argentina em 6 de junho, vindo do México, com um carregamento de partes de automóveis. Sem poder abastecer com gasolina em Buenos Aires, tentou viajar para o Uruguai em 8 de junho, mas as autoridades uruguaias negaram a entrada.
O ministro do Interior uruguaio, Luis Alberto Heber, declarou na quinta-feira que seu país recebeu uma "notificação formal da inteligência paraguaia".
"Agimos rapidamente com o ministro da Defesa e conseguimos evitar que o avião entrasse no espaço aéreo uruguaio", acrescentou Heber.

Source: Paraguai diz que tripulante de avião retido na Argentina faz parte da guarda revolucionária iraniana
#6
EU ESCOLHO MEU GOVERNANTE! / O lucro é somente da Petrobras...
Última mensagem por marcosbr - 19, Junho, 2022, 17:38
Quem é o maior acionista da Petrobrás? Para onde vai este dinheiro?
Uma das maiores e mais respeitadas em todo o mundo. Acredito que a maior em território nacional.
Fundo Eleitoral (eleitoreiro) de R$ 4,9 bilhões para as eleições deste ano.... Orçamento secreto eu não sei (é secreto)
Este "lucro" deveria ser usado em politicas publicas que ajudariam os mais necessitados e não os mais abastados...
Qualquer hora eles vão dizer que a culpa é da população desempregada.
O Brasil tem muito pobre...

Nesta segunda-feira, 20, a União receberá mais uma parcela, de R$ 8,8 bilhões, do lucro da estatal. A cifra faz parte de um total, já anunciado este ano, de R$ 32 bilhões em dividendos que serão pagos até julho ao governo, maior acionista da companhia.
Leia mais aqui:  Governo recebe parcela de R$ 8,8 bi do lucro da Petrobras nesta segunda 

#7
EU ESCOLHO MEU GOVERNANTE! / Conheça a verdade e a verdade ...
Última mensagem por marcosbr - 19, Junho, 2022, 14:04
 Nesta foto ainda falta a covid, a guerra na ucrânia, o moro, a CPI, os "comunistas", etc...
 A cada merda que ele faz tem que ter um culpado...
 O único no ministério que ele não troca é o Paulo Guedes. Ninguém entende este mistério...
 Os outros ele usa e da um "pé na bunda"

O que pensa Paulo Guedes:

1-Funcionalismo público – "Parasitas!"

2-Alta do dólar – "Todo mundo indo pra Disneylândia. Empregada doméstica indo pra Disneylândia. Uma festa danada. Peraí. Vai passear ali em Foz de Iguaçu (...)"

3-Questão ambiental – "As pessoas destroem o meio ambiente porque precisam comer. Você não tem um meio ambiente limpo porque as soluções não são simples. São complexas."

4-Democracia – "Sejam responsáveis, pratiquem a democracia. Ou democracia é só quando o seu lado ganha? Quando o outro lado ganha, com 10 meses você já chama todo mundo para quebrar a rua? Que responsabilidade é essa? Não se assustem então se alguém pedir o AI-5."

5-Inflação nos alimentos – "Os mais pobres estão comprando, estão indo ao supermercado (...). O preço do arroz está subindo porque eles estão comprando mais – está todo mundo comprando mais."

 Ele vai quebrar a Petrobras, assim como esta quebrando o Brasil!

 
 

#8
LEIA SEMPRE AQUI! / Homem prende calça na porta do...
Última mensagem por noticias - 18, Junho, 2022, 21:00
Homem prende calça na porta do metrô e morre arrastado em Nova York


   Polícia não tem certeza se ele bateu em outra composição que entrou na mesma estação. Metrô de Nova York
Reprodução/Instgram/MTA
Um passageiro do metrô de Nova York morreu nesta quinta-feira (16) depois que suas calças ficaram presas nas portas de um trem na noite de quarta. Ele saía do vagão e acabou enganchado, fazendo com que fosse arrastado pela plataforma e depois pelo túnes, disse a polícia.
O episódio ocorreu pouco antes da meia-noite na estação Avenue M em Midwood, no Brooklyn, e o homem, que a polícia disse ter cerca de 30 anos mas não teve o nome divulgado, foi levado a um hospital, mas não resistiu.
A polícia informou que ainda não está claro se a vítima foi atingida por um segundo trem que entrou na estação logo após ele ficar preso. As informações são do "The New York Times".

Source: Homem prende calça na porta do metrô e morre arrastado em Nova York
#9
LEIA SEMPRE AQUI! / Veja a repercussão na imprensa...
Última mensagem por noticias - 17, Junho, 2022, 19:00
Veja a repercussão na imprensa internacional do desfecho da busca por Bruno Pereira e Dom Phillips na Amazônia


   Amarildo da Costa Oliveira confessou ter matado o indigenista e o jornalista, dizem fontes da Polícia Federal. Irmãos confessam assassinato de Bruno Pereira e Dom Phillips, dizem fontes da PF
Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como Pelado, confessou nesta quarta-feira (15) o assassinato do indigenista brasileiro Bruno Araújo Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips, desaparecidos na Amazônia desde 5 de junho, informaram fontes da Polícia Federal.
Foram encontrados remanescentes humanos encontrados em um local indicado por Amarildo. O material será encaminhado para perícia em Brasília. Confirmadas as identificações, serão entregues às respectivas famílias das vítimas.
O irmão de Amarildo, Oseney da Costa de Oliveira, também é suspeito de ter cometido o crime. Os dois estão presos, e a polícia afirma que pode haver mais detenções.
Veja abaixo o que a imprensa internacional, que vinha dando destaque para o desaparecimento, noticiou sobre a confissão de assassinato:
The Guardian
O jornal informa que a polícia encontrou os corpos de dois homens. "Equipes da polícia percorreram 3,1 quilômetros dentro da selva e encontraram remanescentes humanos na quarta-feira", diz o texto.
Reprodução do 'The Guardian', que publicou texto sobre desfecho da busca por Dom Phillips e Bruno Pereira
Reprodução
O "Guardian" era um dos jornais para os quais Dom Phillips colaborava mais frequentemente.
O jornal cita o chefe de polícia Eduardo Fontes.
BBC
A página internacional da BBC deu destaque para o desfecho. "Dom Phillips e Bruno Pereira: suspeito admite ter atirado em par do Amazonas, diz a polícia do Brasil", é o título da reportagem.
Reprodução de texto da BBC sobre confissão de suspeito do caso Dom Phillips e Bruno Pereira
Reprodução
"O detetive Eduardo Fontes disse que o homem, Amarildo da Costa de Oliveira, levou os investigadores ao local onde os remanescentes de humanos foram cavados. Ele afirmou que a polícia vai trabalhar com a Interpol para confirmar a identidade dos corpos."
The Telegraph
Outro grande jornal inglês, o "The Telegraph", diz na manchete que remanescentes humanos foram encontrados enterrados na Amazônia e que os irmãos confessaram ter matado o jornalista britânico Dom Phillips.
Imagem da reportagem do Telegraph sobre o desfecho do caso Dom Phillips e Bruno Pereira
Reprodução
The New York Times
O jornal americano 'The New York Times' diz que homem confessa ter matado jornalista e indigenista
Reprodução
O jornal norte-americano "The New York Times" diz que um pescador confessou ter ajudado a matar o jornalista britânico e o indigenista brasileiro, citando a Polícia Federal, ressaltando que os corpos ainda não foram encontrados.
O jornal cita que Amarildo da Costa de Oliveira já havia ameaçado o indigenista Bruno Pereira no passado e que havia mostrado uma arma para ele um dia antes do desaparecimento, segundo informações de um grupo indígena local.
Washington Post
Texto do Washington Post sobre o desfecho da busca por Dom Phillips e Bruno Pereira
Reprodução
Para o "Washington Post", o anúncio traz uma conclusão sinistra do desaparecimento do jornalista Dom Phillips e do agente de governo Bruno Pereira em uma das regiões mais remotas do país, que transfixou essa nação e chamou atenção à criminalidade recorrente que está desmantelando a maior floresta tropical do mundo.
Daily Mail
O jornal do Reino Unido 'Daily Mail' noticia a confissão de assassinato do jornalista britânico e seu guia
Reprodução
O jornal do Reino Unido "Daily Mail" destacou que suspeitos pelo desaparecimento do "jornalista britânico Dom Phillips e seu guia brasileiro Bruno Pereira" confessaram ter matado e desmembrado os dois homens, citando a imprensa brasileira.
O jornal também ressaltou que a embaixada brasileira pediu desculpas por ter dito à família que os corpos haviam sido encontrado e que a Polícia Federal do Brasil anunciou que ainda buscam as vítimas e investigam o homicídio.
Al Jazeera
Rede Al Jazeera disse que suspeitos confirmaram a morte de jornalista do Reino Unido e guia brasileiro
Reprodução
A rede Al Jazeera, do Catar, noticiou o assassinato citando informações da TV Globo. A reportagem destaca que dois suspeitos confessaram a morte e desmembramento de Bruno Pereira e Dom Phillips na Amazônia.
Eles ressaltam que a polícia não confirmou oficialmente a declaração dos suspeitos e que os corpos ainda não foram encontrados, mas que a investigação trata o caso como homicídio.
Mirror
O 'Mirror', jornal britânico, publica matéria sobre a confissão de assassinato do jornalista Dom Phillips
Reprodução
A matéria do jornal britânico "Mirror" fala sobre o assassinato do "correspondente internacional Dom Phillips e seu guia Bruno Pereira". Citando a imprensa brasileira, o jornal diz que um dos assassinos confessou ter "matado, esquartejado e colocado fogo nos corpos" após testemunhas terem visto eles perseguindo o jornalista.
Ao final da reportagem, eles lembram que a embaixada brasileira em Londres informou a família que os corpos haviam sido encontrados, sendo que na verdade a Polícia Federal continua as buscas.
Reuters
Agência Reuters noticia a confissão do assassinato de Bruno Pereira e Dom Phillips na Amazônia mostrando foto de suspeito sendo preso
Reprodução
A agência de notícias Reuters, usada como referência para inúmeros veículos no mundo todo, diz que dois suspeitos confessaram o assassinato e desmembramento do jornalista britânico Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira. Eles citam a imprensa local e a TV Globo.
Segundo a reportagem, os irmão Amarildo da Costa e Oseney da Costa foram vistos por testemunhas próximo ao local onde o jornalista e o indigenista passaram.
Sky News
Site de notícias Sky News destaca a confissão de dois irmãos pela morte de jornalista britânico e companheiro
Reprodução
O portal de notícias britânico Sky News destaca que dois irmãos admitiram o assassinato do jornalista e seu companheiro. Eles ressaltam que os suspeitos alegaram terem desmembrado os dois homens e ateado fogo nos corpos, citando a imprensa brasileira.
Na reportagem, eles contam que Phillips e o indigenista desapareceram há mais de uma semana no rio Itaquaí, na região do Vale do Javari.
Montagem com fotos do indigenista brasileiro Bruno Araújo Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips
TV Globo/Reprodução

Source: Veja a repercussão na imprensa internacional do desfecho da busca por Bruno Pereira e Dom Phillips na Amazônia
#10
LEIA SEMPRE AQUI! / Putin tem plano de fome para v...
Última mensagem por noticias - 16, Junho, 2022, 17:02
Putin tem plano de fome para vencer guerra e desestabilizar Europa, avalia Timothy Snyder


   Historiador vê paralelos em Hitler e Stalin na estratégia do presidente russo para controlar agricultura na Ucrânia com bloqueio de portos no Mar Negro. Putin no 'Dia da Vitória'
Kirill KUDRYAVTSEV / AFP
O alerta para um novo estágio de colonialismo e o mais recente capítulo da política da fome veio do historiador americano Timothy Snyder, num extenso tópico publicado no sábado (11) no Twitter: "A Rússia tem um plano de fome. Vladimir Putin está se preparando para matar de fome grande parte do mundo em desenvolvimento como o próximo estágio de sua guerra na Europa."
Compartilhe no WhatsApp
Compartilhe no Telegram
Professor de Yale, especializado em Europa Central e Oriental, ele traçou três níveis na estratégia de Putin para matar asiáticos e africanos de fome e vencer a guerra na Ucrânia: destruir o Estado ucraniano, cortando suas exportações; gerar uma onda de refugiados do Norte da África e do Oriente Médio, regiões que são alimentadas pela Ucrânia, o que causaria instabilidade na UE; e desencadear uma campanha de propaganda russa para responsabilizar o país invadido pela fome mundial.
"Quando os distúrbios começarem e a fome se espalhar, a propaganda russa culpará a Ucrânia e exigirá que os ganhos territoriais da Rússia na Ucrânia sejam reconhecidos e que todas as sanções sejam levantadas", prevê o historiador.
No ranking mundial, a Ucrânia aparece como o quinto maior exportador de trigo, o quarto maior de milho e o maior de óleo de girassol. O bloqueio do porto em Odessa pela Rússia, assim como a destruição de silos e equipamentos agrícolas, vêm impedindo a exportação da safra, destinada, sobretudo, a países da África e do Oriente Médio.
LEIA TAMBÉM
'DELICIOSO. E PONTO': Lojas do McDonald's reabrem com novo nome na Rússia
EM MEIO A SIRENES: População de Kiev aproveita calor e vai à praia apesar da guerra
DESAFETOS DO KREMLIN: Quem são os 'traidores' da guerra de Putin
REGIÃO SEPARATISTA: Como a guerra de Putin na Ucrânia pode se estender para a Transnístria?
Rússia e Europa brigam por trigo da Ucrânia
O controle da agricultura ucraniana, para provocar o que o historiador Snyder chamou de horror da fome, encontra paralelos em ações patrocinadas por Josef Stalin e Adolf Hitler. Ele observa que o ditador nazista desejava redirecionar os grãos ucranianos da União Soviética para a Alemanha, na esperança de matar de fome milhões de cidadãos soviéticos. Já a agricultura coletivizada promovida pelo ditador soviético matou cerca de quatro milhões de ucranianos, que acabaram sendo responsabilizados pela campanha de propaganda russa.
A escassez de alimentos parece servir a Putin como tática de guerra. "A política de memória russa preparou o caminho para um plano de fome do século 21. Dizem aos russos que a fome de Stalin foi um acidente e que os ucranianos são nazistas. Isso faz com que roubo e bloqueio pareçam aceitáveis", escreveu Timothy Snyder.
Suas projeções coincidem com o panorama de volatilidade traçado no mês passado por David Beasley, diretor-executivo do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas, durante uma reunião do Conselho de Segurança da ONU, e mais recentemente no Fórum Mundial de Davos
No seu entender, a guerra de Putin na Ucrânia desencadeou a maior crise humanitária desde a Segunda Guerra, agora agravada pelo bloqueio de portos no Mar Negro: 325 milhões de pessoas correm o risco de passar fome como resultado e se somarão aos 43 milhões de pessoas que já enfrentam o problema. 
 "A não abertura dos portos na região de Odessa será uma declaração de guerra à segurança alimentar global. E resultará em fome, desestabilização e migração em massa em todo o mundo", advertiu.
A pressão de Putin começa a funcionar. No início do mês, o chefe da União Africana, Macky Sall, correu para a Rússia e apelou ao presidente para facilitar a exportação de cereais e fertilizantes, já que 40% do trigo consumido pela África vêm da Rússia e da Ucrânia. "Os países africanos são vítimas inocentes da guerra na Ucrânia, e a Rússia deve ajudar a aliviar seu sofrimento", afirmou.
Nove décadas após o Holodomor, ou genocídio pela fome, imposto por Stalin aos ucranianos, uma nova ameaça de insegurança alimentar, com potencial devastador, parte do Kremlin.
Veja os vídeos mais assistidos do g1

Source: Putin tem plano de fome para vencer guerra e desestabilizar Europa, avalia Timothy Snyder