Notícias:

Seja Bem Vindo. Paz e Saúde!

Mensagens recentes

#1
LEIA SEMPRE AQUI! / O que a Bíblia diz sobre o abo...
Última mensagem por noticias - Hoje at 05:24
O que a Bíblia diz sobre o aborto


     Discussões sobre o aborto muitas vezes dividem religiosos fundamentalistas e aqueles que defendem um Estado laico e o pleno exercício das liberdades individuais. Mas o que diz a Bíblia sobre o aborto? Terço sobre bíblia
Getty Images
*Essa reportagem foi publicada originalmente em 9 de maio de 2022
Discussões sobre o aborto muitas vezes dividem religiosos fundamentalistas e aqueles que defendem um Estado laico e o pleno exercício das liberdades individuais.
Mas o que diz a Bíblia sobre o aborto?
A Bíblia não fala diretamente sobre o aborto, e as polêmicas a respeito tendem a se concentrar em duas passagens, que permitem diferentes interpretações.
Esses trechos, detalhados a seguir, não abordam diretamente a interrupção da gravidez, mas são citadas por alguns religiosos como indícios de que o livro sagrado sustentaria a posição de que o aborto seria um pecado e contrário à vontade de Deus. Ao mesmo tempo, outros católicos defendem que não há elementos para usar a Bíblia como base para condenar o aborto.
Duas passagens (do Antigo Testamento) que costumam ser citadas são:
Logo no início do livro do profeta Jeremias, escrito provavelmente no século 7 a.C., o autor se apresenta e então introduz as palavras que lhe teriam sido ditas pelo próprio Deus. E inicia o discurso ressaltando que ele lhe afirmou que "antes que te formasse no ventre, te conheci; e antes que saísses da mãe, te santifiquei".
Já nos Salmos, o maior dos livros que compõem a Bíblia, há outra referência a essa vida que existiria antes mesmo do nascimento. No cântico de número 139, o autor louva a Deus e diz que "os teus olhos viram o meu corpo ainda informe". "E no teu livro todas estas coisas foram escritas, as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia", prossegue.
Para especialistas ouvidos pela BBC News Brasil, a principal pergunta para entender as divergências sobre o tema no âmbito religioso é: quando exatamente começaria a vida?
Discussões sobre aborto muitas vezes dividem religiosos fundamentalistas e aqueles que defendem Estado laico e o pleno exercício das liberdades individuais
Getty Images
"Importante ressaltar que a Bíblia afronta o problema do aborto sublinhando o valor da vida humana, aquela chamada por Deus antes mesmo de que ela esteja dentro do útero materno", defende o padre Renato Gonçalves da Silva, mestre em teologia com ênfase em sacra escritura pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e atualmente estudante de exegese bíblica no Pontifício Instituto Bíblico de Roma.
"Esta mentalidade está presente, de forma especial, em Jeremias [no trecho citado acima]", analisa ele, enfatizando a dupla utilização do advérbio de tempo "antes", reforçando a ideia de que já haveria vida anterior ao fato do nascimento.
"O 'antes' sublinha a verdade bíblica de que a vida humana advém de uma decisão atemporal realizada por Deus, que dentro da sua existência onipotente e sábia já formou, conheceu e santificou a vida humana", defende Silva.
O estudioso enfatiza que o verbo "formar", originalmente "iatsar", em hebraico, "traz a ideia fundamental de um ato criador realizado em um passado muito remoto que, igualmente, pode ser entendido como o eterno presente que define a existência de Deus, aquele que não possui passado ou futuro".
"Em outras palavras, a criação de uma vida humana é uma decisão divina realizada de uma vez por todas e que se atualiza sempre, não importando as circunstâncias do mundo humano", ressalta.
Vida em potencial
Já sobre o salmo, o historiador, filósofo e teólogo Gerson Leite de Moraes, professor na Universidade Presbiteriana Mackenzie, comenta que "geralmente essa passagem é trazida à tona para se dizer que aquela 'substância ainda informe' é o processo inicial da vida, portanto já haveria ali alguma coisa que já seria uma pessoa".
"Porque a discussão toda é essa: ser pessoa ou não ser pessoa, quando começa a vida", pontua Moraes. "Os contrários ao aborto trabalham com a ideia de que desde o momento da fecundação você tem ali uma pessoa, criada por Deus, mesmo que o processo todo seja orgânico. A alma seria dada por Deus, portanto Deus é o dono da vida, o criador."
Duas passagens costumam ser citadas por religiosos para justificar a ideia de que uma interrupção voluntária da gravidez seria um ato pecaminoso e contrário à vontade de Deus — ambas constam do Antigo Testamento
Getty Images
O teólogo explica que, segundo esse raciocínio, Deus "conhece passado, presente e futuro e, portanto, atentar contra aquela substância informe que já seria uma pessoa configuraria crime".
Claro que essa interpretação não ocorreu do dia para a noite e há camadas filosóficas para fundamentar o entendimento religioso a partir dessas poucas linhas.
Moraes salienta que é uma lógica "emprestada do pensamento" do grego Aristóteles (384 a.C. - 322 a.C), quanto aos conceitos de ato e potência. "A metáfora da semente", contextualiza o professor.
"A semente tem potencial para vir a ser uma árvore. É a mesma ideia que se aplica a uma pessoa. Mesmo que no momento da fecundação não estejam ali os braços formados, os olhos formados, uma pessoa plena, há potencial para. E, portanto, se você deixar aquela potência em seu processo natural, depois de nove meses você tem oficialmente uma pessoa vindo ao mundo."
Moraes reconhece que são poucas as citações e as referências bíblicas que permitem interpretações acerca do aborto. E explica que, dentro da mentalidade religiosa, a discussão acaba sendo balizada pela questão de Deus ser entendido como "o criador, o dono da vida".
"Ele seria conhecedor de todas as vidas antes inclusive se elas virem ao mundo", afirma. "Para um religioso, atentar contra um feto é atentar contra a vida."
'Direito de Decidir'
A organização Católicas pelo Direito de Decidir, grupo que costuma divergir da posição oficial da Igreja em temas relacionados aos direitos sexuais e reprodutivos, enfatiza que a Bíblia não pode ser utilizada para balizar a criminalização do aborto.
"A questão do aborto não é um tema bíblico. Os temas bíblicos dizem respeito a horizontes de organização da sociedade, da vida, da linha de defesa de vida para todas e todos. E vida em abundância, como diz o Evangelho", salienta a socióloga Maria José Rosado, professora da PUC-SP e presidente da organização.
"Isso significa vida plena, o que para homens e mulheres significa o controle da própria capacidade de fazer outros seres humanos e a capacidade sobre a maneira de realizar aquilo que sua sexualidade e sua capacidade reprodutiva permitem aos seres humanos", acrescenta ela.
"Quando se invoca a Bíblia para condenar o aborto, como fazem grupos em geral fundamentalistas, conservadores, neoconservadores religiosos, isso é feito a partir de reinterpretações de trechos de uma maneira que possibilite apoiar aquilo que eles querem defender politicamente: a restrição dos direitos sexuais e reprodutivos", argumenta a socióloga Rosado.
"Na verdade, não há base, não há fundamento para invocar a Bíblia a favor dessa restrição", diz ela. "Ao contrário, como demonstram as teólogas feministas, a Bíblia deveria ser usada para ampliar as possibilidades de realização de uma vida plena."
"A Bíblia não diz nada diretamente sobre o aborto. Não há uma afirmação categórica especificamente sobre o aborto. O que temos são versículos que apontam para a formação do ser humano já no útero e como desde o útero, desde o ventre da mãe o ser humano é um ser querido a Deus", aponta o estudioso de hagiografias Thiago Maerki, pesquisador da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e associado da Hagiography Society, dos Estados Unidos.
'Questão do aborto não é um tema bíblico', diz a socióloga Maria José Rosado, professora da PUC-SP
Getty Images
O que as igrejas fazem é uma interpretação de certos versiculos, prossegue Maerki. "A Bíblia não tem um mandamento que diga 'não abortarás'. Temos o 'não matarás', que muitas vezes é tomado pelos religiosos para condenar também o aborto", diz ele.
Muitas denominações religiosas usam trechos para "interpretar", segundo ele, que o aborto é criminoso. "Não é uma afirmação, mas uma interpretação", diz ele. "O que ocorre muitas vezes é uma interpretação fora do contexto, para justificar seus dogmas, seus interesses, seus ensinamentos", afirma.
Evolução do pensamento cristão
Coordenador do Núcleo Fé e Cultura da PUC-SP, o biólogo e sociólogo Francisco Borba Ribeiro Neto vê essas atualizações interpretativas como resultado da própria evolução do conhecimento humano.
"A doutrina católica sempre condenou o aborto, entendido como ato de matar uma criança ainda no útero materno. Contudo, a compreensão científica da concepção e da gravidez mudou muito ao longo dos séculos, e os textos mais antigos nem sempre formularam a interdição ao aborto como proposto atualmente", contextualiza ele.
Mulheres em protesto contra criminalização do aborto nos EUA
BBC/EPA
"Isso abriu espaço para que muitos autores considerem que o aborto era, de alguma forma, aceito pelos cristãos na Antiguidade e na Idade Média. Essa interpretação, que imagina a proibição do aborto como algo recente na história da Igreja, contudo, não me parece fiel ao desenvolvimento histórico das ideias", diz ele.
Ribeiro Neto ressalta que tanto a maternidade quanto o aborto "são carregados de significados simbólicos e afetivos". "É natural que sempre tenha havido pessoas que, mesmo se declarando católicas, não concordassem com o magistério oficial da Igreja num tema tão sensível. Na sociedade atual, a pluralidade cultural permitiu que essas discordâncias ganhassem espaço no debate público", esclarece o acadêmico.
Para ele, entretanto, "o fenômeno cultural mais marcante, em relação ao aborto, foi a ascensão do individualismo e a absolutização da autonomia individual".
"No passado, a mentalidade hegemônica considerava que a criança era um novo ser humano, desejado por Deus, e a mãe não tinha um direito absoluto sobre ele."
Atualmente, a mentalidade hegemônica estabelece que a autonomia da mãe se sobrepõe a qualquer outro fato, de modo que o direito do feto à vida é determinado pela vontade da mãe, ou de ambos os genitores, no máximo", analisa Ribeiro Neto.
"Essa mudança cultural impactou diretamente as interpretações da doutrina católica e explica a consolidação de grupos que tentam mudar o próprio magistério oficial da Igreja Católica sobre o tema."
Para o padre Renato Gonçalves da Silva "a vida humana, mesmo antes do seu nascimento" tem um valor "paradigmático na Bíblia", onde ela é apresentada como um dom "santificado por Deus".
Também parte do Antigo Testamento, o livro do profeta Isaías, provavelmente do século 8 a.C., há um trecho que diz "assim diz o Senhor que te criou e te formou desde o ventre materno e que te ajuda".
Para Silva, essas passagens ilustram como "todos os homens" são criados "de forma muito concreta" no "ventre materno por Deus, aquele que, em um tempo primordial, decidiu pela vida de todo um povo representado na figura singular de cada homem que o compõe".
Protesto pede legalização do aborto no Brasil
Agência Brasil
"Para o cristianismo bíblico, a vida humana é sacra, já no ventre materno, porque a mesma é uma extensão da vida do filho de Deus, Cristo Jesus que vive, de forma paradigmática, em cada um dos homens de forma singular", acrescenta o religioso.
Silva concorda que o tema, contudo, seja tratado na Bíblia "de forma implícita". Segundo ele, são dois os motivos que justificam esse fato.
Primeiro, porque os textos sacros "preferem sublinhar o caráter sacro da vida humana tentando persuadir os seus ouvintes a rejeitar o aborto através de argumentos positivos".
Além disso, defende o padre, "à mentalidade do homem bíblico, o aborto é uma prática tão explicitamente condenável que não merece grandes discursos para defini-lo como um grande erro".
Mesmo que não esteja dito com todas as letras na Bíblia, há registros que mostram que a criminalização do aborto era parte da mentalidade dos primeiros cristãos.
No Didaché, um texto de 16 capítulos escrito no primeiro século da Era Cristã, que funcionava como uma espécie de catecismo, há um trecho que determina: "tu não matarás, mediante o aborto, o fruto do seio".
"O cristianismo do primeiro século já condenava de forma explícita a prática do aborto difusa entre gregos e romanos", destaca Silva.
Cúpula do G7: líderes racham sobre menção a aborto em documento final

Source: O que a Bíblia diz sobre o aborto
#2
LEIA SEMPRE AQUI! / EUA anunciam US$ 1,5 bilhão em...
Última mensagem por noticias - Ontem at 05:22
EUA anunciam US$ 1,5 bilhão em ajuda à Ucrânia na cúpula de paz na Suíça


     O montante divulgado pela vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, deve ser usado para financiar obras de reparação nas instalações de energia elétrica na Ucrânia. Kamala-Harris-Volodymyr-Zelensky
A vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, aperta a mão do presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy, durante a conversa bilateral na Cúpula sobre a paz na Ucrânia - Foto: Alessandro Della Valle/POOL via Reuters
A vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, prometeu o apoio inabalável dos EUA à Ucrânia e anunciou mais de 1,5 bilhão de dólares em ajuda ao setor energético do país e à sua situação humanitária como resultado da invasão russa de 27 meses.
Harris fez o anúncio na cúpula da paz na Ucrânia em Lucerna, na Suíça, onde se encontrou com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky. Espera-se que ela discurse na sessão plenária da cúpula às 17h30 no horário local.
✅ Clique aqui para seguir o canal de notícias internacionais do g1 no WhatsApp
"Esta guerra continua a ser um fracasso total para (o presidente russo Vladimir) Putin", disse Harris durante uma reunião bilateral com Zelensky. "É do nosso interesse defender as normas internacionais", acrescentou ela, prometendo o apoio dos EUA ao país.
Os 1,5 bilhão de dólares incluem 500 milhões de dólares em novos financiamentos para assistência energética e o redirecionamento de 324 milhões de dólares em fundos anunciados anteriormente para reparação de emergência de infraestruturas energéticas e outras necessidades na Ucrânia, disse o gabinete do vice-presidente.
"Esses esforços ajudarão a Ucrânia a responder aos últimos ataques da Rússia à infraestrutura energética, apoiando a reparação e a recuperação, melhorando a resiliência da Ucrânia às interrupções no fornecimento de energia e estabelecendo as bases para reparar e expandir o sistema energético", disse o gabinete de Harris.
Ela também anunciou mais de 379 milhões de dólares em assistência humanitária do Departamento de Estado e da Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional para ajudar refugiados e outras pessoas afetadas pela guerra.
O dinheiro destina-se a cobrir assistência alimentar, serviços de saúde, abrigo e serviços de água, saneamento e higiene para milhões de ucranianos.
Harris, que passará menos de 24 horas na reunião, substituirá o presidente Joe Biden no evento. O presidente acaba de encerrar sua participação na cúpula do G7 na Itália e retornará aos Estados Unidos para participar de uma arrecadação de fundos para sua campanha de reeleição em Los Angeles.
Biden reuniu-se com Zelensky tanto na cúpula do G7, onde assinaram um acordo de segurança bilateral EUA-Ucrânia, como em França para eventos em torno do 80º aniversário da invasão do Dia D da Segunda Guerra Mundial.
O conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, Jake Sullivan, representará os Estados Unidos na cúpula de domingo e ajudará a estabelecer grupos de trabalho sobre o regresso de crianças ucranianas da Rússia e sobre segurança energética.
LEIA TAMBÉM:
Kate Middleton faz primeira aparição pública após anunciar câncer
Oito soldados israelenses são mortos no sul de Gaza, dizem militares de Israel
VÍDEO: pessoas ficam presas de ponta-cabeça em brinquedo de parque de diversões nos EUA

Source: EUA anunciam US$ 1,5 bilhão em ajuda à Ucrânia na cúpula de paz na Suíça
#3
CIÊNCIA e RELIGIÃO! / Re:  Quem tem ouvidos ouça...
Última mensagem por marcosbr - 22, Junho, 2024, 22:08
Incomoda muita gente mas esta aí de novo!

#4
CIÊNCIA e RELIGIÃO! / Inversão de valores biblicos!
Última mensagem por marcosbr - 22, Junho, 2024, 21:40
Minha saudação e pezames aos judeus!
Nenhuma pessoa em sã coinsciencia vai defender o hamas.
Mas estas mesmas pessoas deveriam entender que  "olho por olho" mesmo no antigo testamento tinha regras.
Não se pode matar indiscriminadamente e usar como artificio a religião.
As guerras ou brigas jamais podiam atingir mulheres e criaças. Hoje tudo isto é omitido. Mas fica bem claro aqui: https://www.bibliaonline.com.br/acf/ex/21/20-26
Importantes lideres do exercito de israel são contra esta matança.
Existe um "demonio" liderando Israel!
Ele quer se perpetuar no poder e usa isto como bandeira.
Tenho pena de quem apoia este "ser" chamado:  Benjamin Netanyahu!
No seu pais ele não é bem visto. A maioria dos judeus quer que ele saia.
Como pode brasileiros apoiar esta peste?
Jamais confunda ser judeu com este "genocida" ele não é judeu!
Se voces o apoiarem ele levará Israel a uma guerra sem fim. Ou mundial!
Que combata os terroristas... Mas não pode matar uma população inteira de fome e bombardear mulheres e crianças covardemente!
Para os brasileiros eu dou um exemplo:
Imagine se o exercito ou policia quer pegar uma facção na favela...



https://www.correio24horas.com.br/brasil/mais-criancas-morreram-em-gaza-do-que-em-4-anos-de-guerras-no-mundo-0324

Joga bombas e mata todo mundo? Mata todos de fome? Mata crianças e mulheres?
Quer ajudar Israel?
FORA  Benjamin Netanyahu!
O Brasil ja fez isto antes!



#5
LEIA SEMPRE AQUI! / Voo no Havaí ficou a 120 metro...
Última mensagem por noticias - 22, Junho, 2024, 05:20
Voo no Havaí ficou a 120 metros de bater no mar; agência de aviação dos EUA investiga


     Boeing 737 MAX, da Southwest Airlines, sofreu queda repentina ao tentar pousar em aeroporto de ilha no Havaí. Relatório da companhia apontou que comandante deixou o co-piloto a cargo do voo apesar da previsão de condições climáticas severas, segundo agência de notícia Bloomberg. Boeing 737 MAX da Southwest, mesmo modelo da aeronave que ficou a 120 metros de tocar o mar no Havaí em abril de 2024.
Mike Blake/Reuters
Um voo comercial da Southwest Airlines sofreu uma queda repentina de altitude e chegou a ficar a 120 metros de tocar o oceano, segundo revelou nesta sexta-feira a Agência de Aviação Civil dos Estados Unidos (FAA, na sigla em inglês).
✅ Clique aqui para seguir o canal de notícias internacionais do g1 no WhatsApp
O incidente ocorreu em abril deste ano no Havaí , de acordo com a FAA, que está investigando o caso. A agência confirmou o caso, que havia sido revelado também nesta sexta pela agência de notícias Bloomberg.
O avião, um Boieng 737 MAX, havia decolado do Aeroporto Internacional de Honolulu, no Havaí, e tinha previsto pousar no aeroporto de Lihue, na ilha de Kauai, também no Havaí .
No entanto, as condições climáticas forçaram os pilotos a abortar a tentativa de pouso quando estavam a cerca de 300 metros de altura. Nesse momento, segundo um relatório da própria Southwest ao que a Bloomberg teve acesso, a aeronave sofreu uma queda repentina de 180 metros em segundos.
Os dados do voo revelaram também, segundo a reportagem, que o avião desceu e subiu quase fora de controle. Pouco antes de tocar o mar, os pilotos iniciaram uma subida rápida e conseguiram recuperar altitude. Em seguida, retornaram ao aeroporto de origem.
Ninguém ficou ferido durante a queda, ainda de acordo com o documento.
O relatório apontou ainda que o comandante designou o co-piloto para comandar o voo mesmo sabendo das condições "severas do tempo" na rota do voo, que chegou a impossibilitar a visualização da pista de voo, segundo a Bloomberg.
Apesar de o caso ter acontecido em abril, só na semana passada a Southwest Airlines distribuiu a seus pilotos o relatório detalhando o incidente, ainda de acordo com a Bloomberg.
A FAA confirmou as informações da agência e disse ter aberto sua própria investigação sobre o caso, ainda sem conclusões. Em um comunicado emitido nesta sexta-feira, a Southwest afirmou que os pilotos fizeram a manobra correta nesse caso.
"Através do nosso robusto Sistema de Gestão de Segurança, o evento foi abordado de forma adequada, pois sempre nos esforçamos para melhorar continuamente", diz a nota.
A companhia não explicou, no entanto, por que não relatou o incidente antes.

Source: Voo no Havaí ficou a 120 metros de bater no mar; agência de aviação dos EUA investiga
#6
LEIA SEMPRE AQUI! / Vladimir Putin chama de 'roubo...
Última mensagem por noticias - 21, Junho, 2024, 05:19
Vladimir Putin chama de 'roubo' o uso de ativos russos congelados no Ocidente e diz que só negocia paz se Ucrânia retirar tropas do próprio território


     Os rendimentos dos ativos russos congelados por países do Ocidente vão financiar um empréstimo de US$ 50 bilhões (R$ 268 bilhões) para que a Ucrânia possa comprar armas e se reconstruir o país em guerra.  Ucranianos disparam míssil em Donetsk
Reuters
O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou nesta sexta-feira (14) que o uso dos rendimentos dos ativos russos congelados para ajudar a Ucrânia é um roubo e prometeu uma resposta.
Na quinta-feira, os líderes de países que formam o G7 se reuniram na Itália e anunciaram que firmaram um empréstimo à Ucrânia de US$ 50 bilhões (cerca de R$ 270 bilhões), usando juros gerados por ativos russos congelados pelo Ocidente. O anúncio foi feito pela primeira-ministra italiana, Giorgia Meloni.
Quase 300 bilhões de euros (R$ 1,75 trilhão) de ativos russos foram congelados pelos aliados ocidentais após a invasão de fevereiro de 2022. Os rendimentos desse dinheiro vão financiar um empréstimo de US$ 50 bilhões (R$ 268 bilhões) para que a Ucrânia possa comprar armas e se reconstruir o país em guerra.
"Apesar de todas as trapaças, roubo continua sendo roubo e não ficará impune", declarou o presidente russo a funcionários do Ministério das Relações Exteriores.
O líder russo também falou sobre condições para negociar a paz com a Ucrânia: Putin disse que assinaria um acordo "amanhã" caso a Ucrânia retirasse suas tropas das regiões de Zaporizhzhia, Kherson, Donetsk e Luhansk e desistisse de se unir à Organização do Tratado do Atlântico Norte.
Se a Ucrânia aceitasse esses termos, a Rússia iria parar de atacar e começar a negociar, segundo Putin.
Ele fez os comentários na véspera de uma cúpula na Suíça, onde mais de 90 países e organizações devem discutir um possível caminho para a paz na Ucrânia. A Rússia não foi convidada e diz que a reunião é uma perda de tempo.
A Rússia controla quase um quinto do território ucraniano no terceiro ano da guerra, e a Ucrânia diz que a paz só pode ser baseada na retirada total das forças russas e na restauração de sua integridade territorial.
A ajuda à Ucrânia foi um dos principais assuntos do primeiro dia da Cúpula do G7

Source: Vladimir Putin chama de 'roubo' o uso de ativos russos congelados no Ocidente e diz que só negocia paz se Ucrânia retirar tropas do próprio território
#7
LEIA SEMPRE AQUI! / Conheça as mulheres que enfren...
Última mensagem por noticias - 20, Junho, 2024, 05:19
Conheça as mulheres que enfrentam a máfia que domina a região da Itália onde acontece o encontro do G7


     Nesta semana, os líderes dos países do G7 e alguns convidados (entre eles, o presidente Lula) vão participar de um encontro de cúpula em Puglia, a região da Sacra Corona Unita. A juíza Maria Francesca Mariano em 20 de maio de 2024
Alessandra Tarantino/AP
No dia 1º de fevereiro, uma cabeça decepada de um bode com uma faca de açougueiro atravessada foi colocada na porta da casa da juíza Francesca Mariano, da Itália.
A juíza tem recebido ameaças com frequência —inclusive notas escritas com sangue— depois de ter dado ordem de prisão para 22 pessoas de uma máfia que atua na região de Puglia, no sul do país.
Nesta semana, os líderes dos países do G7 e alguns convidados (entre eles, o presidente Lula) vão participar de um encontro de cúpula justamente em Puglia.
A região é a área do grupo mafioso Sacra Corona Unita (SCU), uma organização menos conhecida do que a Camorra, a Cosa Nostra ou a 'ndrangheta, mas que tem também conseguiu se infiltrar em empresas e no órgãos de governo.
Além da juíza Mariano, há outras mulheres que combatem a Sacra Corona Unita na região de Puglia, como a chefe da da força tarefa antimáfia, uma promotora de Justiça e uma política local.
A história da Sacra Corona Unita
A Sacra Corona Unita (SCU) nasceu em uma prisão na cidade de Lecce, em 1981, para evitar que grupos criminosos de outras regiões controlassem os negócios ilícitos da cidade.
O grupo mafioso pegou o nome do catolicismo e também copia alguns rituais da Igreja. Ao longo dos anos, membros da SCU passaram a misturar negócios legítimos com os crimes e, hoje, há cerca de 5.000 membros divididos em 30 clãs diferentes da entidade.
A promotora Carmen Ruggiero em 22 de maio de 2024
Alessandra Tarantino/AP
Carla Durante, a chefe da força antimáfia de Lecce, diz que o principal negócio da CSU é o tráfico de drogas, mas que também praticam extorsão e agiotagem. "Agora há infiltrados na administração pública", afirma Durante.
A SCU lava o dinheiro que ganha em crimes em negócios legítimos, como empresas de turismo em Puglia.
Uma das formas mais eficientes de combater o crime tem sido confiscar negócios de mafiosos. A força tarefa de Durante já embargou fazendas e vinícolas que foram transformados em projetos de organizações locais.
"Aprendemos que essa é a ferramenta mais objetiva (para combater a máfia), porque tirar ativos dos mafiosos implica tirar poder deles", afirma Durante.
A SCU se inseriu na sociedade local e é aceita pelas pessoas. Nos últimos anos, tem evitado ações muito violentas e tem adotado formas mais sutis de intimidação.
Mafioso tentou cortar o pescoço de promotora
Sabrina Matrangola, uma política da região, é filha de uma mulher que foi morta em 1984 durante uma campanha contra um empreendimento imobiliário em um parque. Ela afirma que há uma aceitação da máfia na Itália e que a comunidade precisa se unir e escolher "o lado certo". Matrangola é ativista o grupo Libera, que converte propriedades embargadas da máfia em projetos para as comunidades locais.
Duas semanas após uma operação em que membros do grupo mafioso foram presos, um suspeito tentou cortar o pescoço da promotora que lidera a acusação, Carmen Ruggiero.
Pancrazio Carrino, uma das 22 pessoas com mandado de prisão, sinalizou que queria colaborar com a investigação. Mas quando a promotora chegou ao presídio, ele tentou cortar a jugular dela com uma faca improvisada.
A promotora Carmen Ruggiero
Alessandra Tarantino/AP
As mulheres que enfrentam a CSU também tentam convencer a população de como a máfia é danosa de outras formas: Mariano, a juíza, escreve peças para tentar mudar a forma como as pessoas enxergam os criminosos.
""Temos que começar com a comunicação, que é fundamental para transmitir valores de dignidade, coragem e responsabilidade, a capacidade de dizer não, a capacidade de se indignar diante das coisas erradas", afirma ela.
Veja também:
Banco oferece cofre para proteger queijo de roubos da máfia italiana
Banco oferece cofre para proteger queijo de roubos da máfia italiana

Source: Conheça as mulheres que enfrentam a máfia que domina a região da Itália onde acontece o encontro do G7
#8
LEIA SEMPRE AQUI! / Por que Elon Musk vem ameaçand...
Última mensagem por noticias - 19, Junho, 2024, 05:13
Por que Elon Musk vem ameaçando banir o uso de iPhones e Macs em suas empresas


     Empresário criticou a parceria feita entre Apple e OpenAI que permitiu a introdução do robô ChatGPT nos iPhones. Ele é dono da Tela, da SpaceX e do X (ex-Twitter).  Elon Musk, fundador da Tesla
Joe Skipper/Reuters
O bilionário Elon Musk vem criticando um acordo feito entre a Apple e a OpenAI que possibilitou a integração do robô ChatGPT nos iPhones. A parceria foi anunciada na última segunda-feira (10), durante a WWDC 2024, evento da Apple para desenvolvedores.
Musk, que é dono da Tesla, da SpaceX e do X (ex-Twitter), afirma que o acordo da Apple com a criadora do ChatGPT ameaça à segurança de dados e, por isso, pensa em proibir o uso de iPhones e MacBooks em suas empresas.
Vale lembrar que o bilionário foi cofundador da OpenAI, em 2015, mas ele deixou a presidência da empresa em 2018. Em 2023, Musk abriu a sua própria empresa de IA, a xAI, para rivalizar com a OpenAI.
"A Apple não tem noção do que realmente vai acontecer assim que entregar teus dados à OpenAI. Estão te traindo", disse Musk em uma postagem no X.
Musk chegou a processar a OpenAI sob a alegação de que a empresa abandonou sua missão original de não ter fins lucrativos. Nesta quarta-feira (12), ele pediu o arquivamento da ação sem dar um motivo para a decisão.
"É evidentemente absurdo que a Apple não seja inteligente o suficiente para criar sua própria IA, mas seja de alguma forma capaz de garantir que a OpenAI protegerá sua segurança e privacidade!", completou o empresário. Em seguida, ele postou um meme:
Initial plugin text
O Apple Intelligence, tecnologia apresentada pela Apple na segunda será incorporado à nova versão do iOS 18. A inovação deverá facilitar tarefas do dia a dia ao levar inteligência artificial generativa para recursos de iPhone, iPad e Mac.
A Apple pôs no centro deste sistema sua assistente pessoal Siri, que passou por uma grande reformulação. E, para isso, a empresa se associou à OpenAI.
"Estamos felizes em colaborar com a Apple para integrar o ChatGPT em seus aparelhos mais à frente este ano. Acho que vão gostar", disse no X o diretor-geral da OpenAI, Sam Altman.
"Pensamos que o Apple Intelligence será indispensável nos produtos que já têm um papel essencial em nossas vidas", completou Tim Cook, presidente-executivo da Apple.
VEJA TAMBÉM:
Brasil manda 4x mais áudios no WhatsApp do que outros países, diz Zuckerberg
Contas de 'jogo do tigrinho' inundam Instagram
O primeiro tradutor de Libras foi apresentado no Web Summit Rio 2024

Source: Por que Elon Musk vem ameaçando banir o uso de iPhones e Macs em suas empresas
#9
LEIA SEMPRE AQUI! / Hamas diz que aceita plano de ...
Última mensagem por noticias - 18, Junho, 2024, 05:09
Hamas diz que aceita plano de trégua aprovado pela ONU; Israel afirma que grupo terrorista mudou pontos do texto


     O texto do acordo foi elaborado pelos Estados Unidos. Ainda não há informação sobre o conteúdo da resposta. Cessar-fogo aprovado pela ONU: acordo pode levar aos capítulos finais da guerra entre Israel e Hamas
O grupo terrorista Hamas aceitou uma resolução do Conselho de Segurança da ONU que apoia um plano para acabar com a guerra na Faixa de Gaza e está pronto para negociar os detalhes, disse nesta terça-feira (11) uma autoridade do Hamas.
✅ Clique aqui para seguir o canal de notícias internacionais do g1 no WhatsApp
Mediadores do Egito e do Catar afirmaram que receberam uma resposta formal do Hamas para a proposta de trégua apoiada pela ONU.
No entanto, representantes de Israel disseram à agência de notícias Reuters que recebeu a resposta do Hamas e que o grupo palestino rejeitou o plano e mudou os principais pontos do texto.
Em um comunicado em conjunto, o Hamas e um outro grupo terrorista, a Jihad Islâmica, afirmaram que estão prontos para alcançar um acordo para acabar com a guerra na Faixa de Gaza.
No entanto, há uma chance de o acordo não ser firmado porque tanto Israel como o Hamas sugeriram que o plano acomode alguns de seus propósitos, que são conflitantes.
Uma autoridade do Hamas afirmou à agência de notícias Reuters que "a resposta (ao plano de cessar-fogo) reafirma que qualquer acordo deve acabar com a agressão sionista contra o nosso povo, tirar as forças de Israel, reconstruir a Faixa de Gaza e é preciso haver uma troca de prisioneiros".
O Hamas quer um novo cronograma para um cessar-fogo permanente e a retirada das tropas de Israel da Faixa de Gaza —inclusive da cidade de Rafah—, disse uma autoridade à agência de notícias Reuters.
O texto do acordo foi elaborado pelos Estados Unidos —antes do plano ser votado pelo Conselho de Segurança da ONU, o presidente americano, Joe Biden, afirmou que o texto foi "aceito" por Israel, mas o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse que pretende continuar a guerra até acabar com o Hamas.
Conselho de Segurança votou a favor de acordo
O Conselho de Segurança da ONU aprovou uma resolução de cessar-fogo na guerra entre Israel e o grupo terrorista Hamas na Faixa de Gaza na segunda-feira (10). O placar da votação foi de 14 votos a favor, zero contra e 1 abstenção, da Rússia.
O texto, elaborado pelos israelenses e proposto ao Conselho pelos Estados Unidos, pressiona o grupo terrorista a aceitar os termos. A resolução demanda "as duas partes a aplicarem plenamente os seus termos, sem demora e sem condições".
O acordo é previsto para ter três fases. Em uma primeira fase, o plano prevê os seguintes termos:
Cessar-fogo absoluto com duração de seis semanas;
Retirada das forças Israel das áreas densamente povoadas da Faixa de Gaza;
Libertação de reféns sequestrados durante o ataque do grupo terrorista Hamas, entre eles mulheres, idosos e feridos, em troca da libertação de prisioneiros palestinos detidos por Israel.
A segunda fase incluiria os seguintes termos:
Libertação dos demais reféns, entre eles homens e soldados, em troca de prisioneiros palestinos detidos por Israel;
Retirada total das tropas israelenses da Faixa de Gaza.
A terceira fase prevê o início de uma grande reconstrução de Gaza, que enfrenta décadas de reconstrução devido à devastação causada pela guerra.
Conselho de Segurança da ONU pede que Israel e Hamas implementem plano dos EUA para cessar-fogo na Faixa de Gaza
Jornal Nacional/ Reprodução

Source: Hamas diz que aceita plano de trégua aprovado pela ONU; Israel afirma que grupo terrorista mudou pontos do texto
#10
LEIA SEMPRE AQUI! / Singapore Airlines oferece US$...
Última mensagem por noticias - 17, Junho, 2024, 05:06
Singapore Airlines oferece US$ 10 mil para cada um dos feridos em voo que sofreu turbulência forte


     A companhia anunciou ainda que reembolsará o valor das passagens de todos os passageiros do voo, incluindo os que não sofreram ferimentos. Um passageiro de 73 anos morreu no incidente. Parte do teto de um Boeing 777 da Singapore Airlines onde um passageiro morreu após turbulência severa desabou após passageiros se chocarem contra a estrutura, em 21 de maio de 2024.
Reuters
A Singapore Airlines anunciou nesta terça-feira que ofereceu uma indenização de US$ 10 mil (R$ 53 mil) aos passageiros que sofreram ferimentos leves em um voo afetado por uma turbulência intensa em maio, e informou que discutirá o pagamento de um valor maior para os que sofreram ferimentos mais graves.
✅ Clique aqui para seguir o canal de notícias internacionais do g1 no WhatsApp
Um britânico de 73 anos morreu e vários passageiros e tripulantes do voo SQ321, que ia de Londres a Singapura, sofreram ferimentos no crânio, cérebro e coluna durante a turbulência.
Os pilotos desviaram o Boeing 777-300ER para Bangkok, onde os feridos foram levados para um hospital. O voo levava 211 passageiros e 18 tripulantes a bordo.
A empresa afirmou em um comunicado que enviou e-mails para oferecer a indenização de US$ 10 mil dólares aos passageiros que sofreram ferimentos leves no incidente.
Em casos de ferimentos graves, que exigem atendimento médico de longo prazo e assistência financeira, a companhia aérea de Singapura ofereceu um pagamento inicial de US$ 25 mil (R$ 133 mil) "para cobrir as necessidades imediatas".
Voo sofre turbulência severa e faz pouso não programado em Bangkok
"Isso será parte da compensação final que estes passageiros receberão", acrescentou.
A companhia anunciou ainda que reembolsará o valor das passagens de todos os passageiros do voo, incluindo os que não sofreram ferimentos.
O Ministério dos Transportes de Singapura afirmou que uma queda súbita de 54 metros da aeronave jogou violentamente os passageiros que não usavam cinto de segurança contra a parte superior do avião.
LEIA TAMBÉM:
TURBULÊNCIA: 'Todo mundo que estava sem cinto foi lançado para o teto', diz passageiro de voo com um morto
ENTENDA: O que é turbulência severa, como impacta os passageiros, quem costuma se ferir mais e o que fazer; saiba mais
VÍDEO e FOTOS mostram como ficou interior do avião onde passageiro morreu após turbulência severa

Source: Singapore Airlines oferece US$ 10 mil para cada um dos feridos em voo que sofreu turbulência forte